Pesquisa personalizada

Translate:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

O objetivo principal é fortalecer o NEPRE com as ações do SPE - Saúde e Prevenção nas Escolas - o qual é um projeto dos Ministérios da Saúde e da Educação, que conta com o apoio da UNESCO e da UNICEF. Representa um marco na integração saúde-educação e destaca a escola como o melhor espaço para a articulação das políticas voltadas para adolescentes e jovens, principalmente por poder contar com a participação dos sujeitos desse processo: estudantes, famílias, profissionais da educação e da saúde. Neste blog estão publicados textos, links, e principalmente projetos e ações preventivas desenvolvidas pelo NEPRE nas escolas de Joinville, SC, sob a coordenação pedagógica do professor Jorge Schemes da GERED.
Pesquisa personalizada

05 dezembro 2007

Atividade: EEB Georg Keller

RELATÓRIO DO PROJETO
SEXUALIDADE NA ESCOLA

A sexualidade é inerente à vida e à saúde, que se expressa no ser humano, do nascimento até a morte. Relacionar-se com o direito ao prazer e ao exercício da sexualidade com responsabilidade. Engloba as relações de gênero, respeito a si mesmo e ao outro e á diversidade de crenças, valores e expressões culturais existentes numa sociedade pluralista.
O desconhecimento e dúvidas sobre a sexualidade tornam-se uma incógnita em nossa vida. Pois o ser humano está sempre em busca do prazer. Mesmo quando está saboreando uma comida deliciosa, vendo uma bela paisagem, enfim: prazer é a sensação de bem-estar, é se sentir feliz. Nosso corpo também é uma grande fonte de prazer. E esse prazer tende a aumentar à medida que conhecemos melhor nosso corpo. No entanto, muitos passam à vida inteira convivendo com ele sem percebê-lo integralmente, sem tocá-lo.
Devido que a Educação sexual tem sido sistematicamente barrada por forças reacionárias, forças que acham que o papel é de família ou entende que a educação sexual se restrinja a informações de fisiologia e anatomia do corpo e mecanismo de reprodução. Porém sexo vai além do que isso. Sexo é prazer, sexo é desejo, e também proibição, perigo erro e culpa. E esta questão sexual fica sempre no limite entre o desejo e a repressão e assim o sexo fica num discurso dito pelo não dito. Inclui a importância da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (AIDS), da gravidez indesejada na adolescência entre outras questões polêmicas.
A discussão sobre a inclusão da sexualidade no currículo das unidades escolares vem se intensificando desde a década de 70, provavelmente em função das mudanças comportamentais dos jovens juntamente com os movimentos sociais que se propunham na abertura política, repensar o papel da escola e um dos conteúdos por ela trabalhados.
As manifestações da sexualidade afloram em todas as faixas etárias. Ignorar, ocultar ou reprimir são respostas habituais dadas por profissionais da escola, baseados na idéia de que sexualidade é assunto para ser lidado apenas na família. Por outro lado a mídia, nas suas múltiplas manifestações, e com muita, força assume relevante papel, ajudando amoldar visões e comportamentos. Ela veicula imagens eróticas, que estimulam crianças e adolescentes, incrementando a ansiedade e alimentando fantasias sexuais. Também informa, veicula campanhas educativas, que nem sempre são dirigidas e adequadas a esse público. Os adolescentes testam, questionam e tomam como referência a percepção que têm da sexualidade de seus professores, por vezes desenvolvendo fantasias, em busca de seus próprios parâmetros.
Todas essas questões são expressas pelos alunos na unidade escolar. Cabe a ela desenvolver ações críticas, refletivas e educativas.
A escola, sendo capaz de incluir a discussão da sexualidade no seu Projeto Político Pedagógico, está se habilitando a interagir com os jovens a partir da linguagem e do foco de interesse que marca essa etapa de suas vidas e que é tão importante para a construção de sua identidade.
A comunicação entre educadores e adolescentes tenderá a se estabelecer com mais facilidade, colocando para que todo o trabalho pedagógico flua melhor.
E instituição escolar deve demonstrar que no ser humano ocorre fenômeno diferente, pois ele possui consciência, isto é significa escolha do parceiro sexual, no caso da nossa espécie, não é feita instintamente, mas tem um componente racional que avalia a escolha. Pouca coisa resta no homem de caráter instintivo, e a escolha sexual é feita mais pelo prazer que ela nos dá individualmente do que pela pressão da necessidade de reproduzir a espécie. Isso significa dizer que o prazer passa a ser o dado fundamental para a sexualidade humana.
Toda relação afetiva, seja de amor ou amizade, no ponto de vista da Psicanálise é um investimento de energia sexual.


OBJETIVO GERAL:
Desenvolver um trabalho de importância da saúde sexual e reprodutivo e os cuidados necessários para promovê-la em cada indivíduo. O conhecimento do corpo e de seu funcionamento propicia maior conscientização da importância da saúde e da necessidade de ações não só curativas, mas também preventivas. E também discutir os impulsos do desejo vividos no corpo e esclarecere-los aos jovens dimensionando-os adequadamente, compreendendo seu caráter e sua relação com possíveis escolhas racionais. Para dissenimar o crescimento intelectual decorrente da informação, que demonstre ao jovem a variabilidade de comportamentos e valores, que esclareça a sexualidade, é essencial para auto-aceitação sem temores e angustias.

ESPECIFICO:

Despertar a importância da valorização do seu corpo.

Oportunizar este trabalho como um componente transversal na unidade escolar baseando não somente o foco de educador e educando mas aproximar a família neste projeto no qual proporcionara também conhecimento de como se manifestar diante (des) conhecido.

Apreciar os valores ate então fúteis ao ser humano, demonstrando uma perspectiva de vida de auto - aceitação sem temores e angustias.

Desenvolver a consciência de que cada um é responsável pelo seu desenvolvimento intelectual, social e sexual;

Enfatizar de maneira que a família e um processo social seriam e relevante ao mundo atual.

Desenvolver o espírito de trabalho diversificado sem demagogia.

Discutir o controle da reprodução muito outra questões que atormentam os jovens: homossexualismo, orgasmo, aborto, métodos contraceptivos, masturbação, enfim tudo que diz respeito á nossa sexualidade é algo (des) conhecido e produtor de ansiedade para a maioria dos jovens.

Diferenciar sexo e sexualidade.

METODOLOGIA:

Possibilitando uma integração Da disciplina de ciências com as sétimas séries e trabalhar no referido Projeto com:

VALORES – SER – MUDANÇAS COMPORTAMENTAL / CORPORAL –
MITOLOGIA – QUANDO É A HORA CERTA ? MENINO X MENINA – SENSO COMUM –
HISTORICO DA SEXUALIDADE
PRAZER QUE É ? DIFERENTES FORMAS DE PRAZER.
ANATOMIA E FISIOLOGIA DOS ÓRGAOS REPRODUTORES HUMANOS
PUBERDADE – DIFERENÇAS HORMONAIS
NAMORO:QUAL A FORMULA IDEAL ?
METÓDOS ANTICONCEPTIVEIS –
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSIVEIS –CURA ATÉ ONDE?
PROMISGUIDADE
GRAVIDEZ PRECOCE – E AGORA PAPAI E MAMÃE ?
PESQUISA DA ESTRUTURA FAMILIAR - PLANEJAMENTO
HOMOSSEXUALISMO X HETEROSSEXUALISMO
MAQUETE SOBRE COMO É A ESTRUTURA DOS ORGÃOS MASCULINOS E FEMININOS
SEMINÁRIOS COM TEMAS ACIMA CITADOS.

PERIODO DE REALIZAÇÃO:
Durante o segundo bimestre do ano letivo de 2007, com as turmas:701,702,703 e 704 da Unidade Escolar Georg Keller, no turnos matutino e vespertino.














Nenhum comentário:

REALIZE EM SUA ESCOLA UMA CAPACITAÇÃO PARA PROFESSORES, GESTORES, ESPECIALISTAS E EDUCADORES SOBRE:


TEMA: INDISCIPLINA, BULLYING, ATO INFRACIONAL E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS NA ESCOLA


MINISTRANTE: PROFESSOR JORGE SCHEMES*


Mini Currículo:
Formação: Bacharel em Teologia com Ênfase em Grego e Hebraico (SALT). Licenciado em Pedagogia com Habilitação em Séries Iniciais e Administração Escolar (FGG). Licenciado em Ciências da Religião com Habilitação em Ensino Religioso (FURB). Pós-Graduado em Interdisciplinaridade e Metodologia do Ensino Superior (UNIVILLE). Pós-Graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional (FACINTER). Pós-Graduado em Mídias na Educação (FURG). Pós-Graduado em Coordenação Pedagógica (UFSC). Atuação Profissional: Técnico Pedagógico na Gerência de Educação de Joinville – GERED – Responsável pelo NEPRE, APOMT e APÓIA. Professor das disciplinas de Filosofia da Educação; História da Educação, Antropologia Cultural, Empreendedorismo, Educação e Conjuntura Política, Projetos Educacionais e Corporativos, Educação, Comunicação e Novas Tecnologias na FGG (Faculdade Guilherme Guimbala - ACE - Associação Catarinense de Ensino - Curso de Pedagogia). Professor de Religião no Instituto de Parapsicologia de Joinville. Professor de Ensino Religioso na Escola Pública Municipal Saul Sant'Ana de Oliveira Dias. Membro Conselheiro do COMEN e da CMAIDS (Conselho Municipal de Entorpecentes e Comissão Municipal de Prevenção e Controle de DST/AIDS). Membro da aliança:"Por Um Mundo Sem Tabaco", do INCA (Instituto Nacional do Câncer). Autor do Livro: "O Que Você Precisa Saber e Fazer Para Deixar de Fumar" - Editora DPL. Escritor e Palestrante. Contato pelo e-mail: jorgeschemes@yahoo.com.br

* Currículo Completo Disponível em:
http://lattes.cnpq.br/4338194471582467


1. TEMA:
Indisciplina, Bullying, Ato Infracional e Mediação de Conflitos na Escola.


2. JUSTIFICATIVA:
Considerando que atualmente a indisciplina no ambiente escolar, o fenômeno Bullying e o ato infracional são fatos concretos que interferem de maneira negativa no processo pedagógico; Considerando que a falta de limites não é apenas um problema que se manifesta na escola mas também nas famílias; Considerando que os profissionais da educação se sentem reféns da indisciplina e da violência manifestada pelo corpo discente; Considerando que o corpo docente e técnico administrativo da escola pode estar falhando nas abordagens de resolução de conflitos na escola; Considerando ainda que há uma má interpretação ou mesmo desconhecimento da sistemática proposta pelo Estatuto da Criança e do Adolescente nos casos de omissão da família e dos direitos e deveres previstos nesta Lei, faz-se necessário uma parada pedagógica para discutir e analisar tais questões e levantar possíveis alternativas de abordagem para tais problemas.


3. OBJETIVO GERAL:
Refletir sobre as possíveis causas da indisciplina, características do Bullying e dos Atos Infracionais no ambiente escolar e fornecer orientações práticas para a prevenção e a superação de tais fenômenos contemporâneos.


4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
1. Refletir sobre as possíveis causas da indisciplina na sala de aula e alternativas de superação dos conflitos na relação professor(a) aluno(a).
2. Entender a diferença entre indisciplina, Bullying e Ato Infracional.
3. Sistematizar um protocolo de ações para prevenção e atendimento em casos de indisciplina , Bullying e de Atos Infracionais.
4. Entender e aplicar as diretrizes do Estatuto da Criança e do Adolescente e outras legislações pertinentes na prática pedagógica cotidiana.
5. Refletir sobre as possibilidades da mediação de conflitos na escola como ferramenta de prevenção e superação da violência escolar.


5. PÚBLICO ALVO:
Professores, Orientadores, Supervisores e Gestores Escolares.


6. METODOLOGIA:
1. Aula expositiva e dialogada.
2. Apresentações, seminário e fórum para debate.
3. Leituras e discussão de textos pertinentes ao tema.
4. Dinâmicas e reflexões.


7. RECURSOS DIDÁTICOS:
Textos, Multimídia, Internet, Slides, Blogs.


8. CRONOGRAMA/EMENTA
Proposta de Capacitação de 16 horas mais 04 horas de atividades de extensão, somando um total de 20 horas:

8.1 DIA/PERÍODO/TEMAS E ATIVIDADES:


Matutino - 04 horas.
1. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) no contexto da relação professor x aluno – direitos e deveres.
2. Questionamentos sobre o ECA (atividade em pequenos grupos).
3. Socialização, debate e análise dos questionamentos sobre o ECA.


Vespertino - 04 horas.
1. Conceituando disciplina e indisciplina.
2. Os quatro focos da indisciplina (análise a auto-análise).
3. Estudo de casos (atividade em pequenos grupos).


Matutino - 04 horas.
1. Continuação do estudo de casos (atividade em pequenos grupos).
2. Indisciplina, Bullying e Ato Infracional.
3. Protocolo de Ações e Regimento Escolar.


Vespertino - 04 horas.
1. Prevenção e mediação de conflitos na escola.
2. Indicações de documentos e legislação.
3. Formulação de um protocolo de ações.

Observação: A capacitação poderá ser realizada em todos os dias da semana, incluive no sábado e no domingo, com a possibilidade de ser realizada também no período noturno.

9. AVALIAÇÃO:
A avaliação será diagnóstica, processual, formativa, cumulativa e global, incluindo auto-avaliação reflexiva da participação do(a) aluno(a) no processo de construção do conhecimento. Se dará por meio de observação sistemática e anotações em instrumentos próprios para tal.


10. CARGA HORÁRIA:
16 horas mais 04 horas de atividades de extensão, somando um total de 20 horas.


11. REFERÊNCIAS BÁSICAS:
Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA.
Documentos e Legislação disponíveis em:
http://www.projetonepre.blogspot.com/

Outras indicações bibliográficas dadas durante a capacitação.

12. INVESTIMENTO:

A combinar:

Ligue: 47-9244-6801 ou entre em contato:
jorgeschemes@yahoo.com.br


13. PALESTRA OU OFICINA PARA PROFESSORES E EDUCADORES:

Há também a opção de realizar esse projeto em forma de palestra ou oficina nas escolas, para professores e corpo técnico pedagógico e administrativo, com duração de 04 horas ou 08 horas, nos turnos matutino, vespertino ou noturno.


O investimento total da palestra de 04 horas ou oficina é de R$ 500,00 (Quinhentos Reais - Incluindo despesas com transporte, estadia e alimentação - preço válido para o Estado de Santa Catarina), e se for para o dia todo com carga de 08 horas, o investimento é de R$ 1.000,00 (Mil Reais).


Para outros Estados o valor deve ser negociado pelo e-mail jorgeschemes@yahoo.com.br ou pelo fone 47-9244-6801.


Para escolas da Rede Pública de Joinville (SC) e Região, o valor da palestra ou oficina de 04 horas é de R$ 350,00 (Trezentos e Cinqüenta Reais - Sem custos adicionais), e se for para o dia todo com carga de 08 horas, o investimento é de R$ 700,00 (Setecentos Reais).


As vagas para a oficina são limitadas até o número máximo de 50 participantes.

Dúvidas?
Contato pelo e-mail jorgeschemes@yahoo.com.br ou pelo fone 47-9244-6801.


14. OUTRAS PALESTRAS E OFICINAS:

http://www.schemespalestras.blogspot.com


Pesquisa personalizada