Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

31 maio 2007

TABAGISMO - JORNAL DIÁRIO CATARINENSE DE 31 DE MAIO DE 2007

Aumenta o cerco aos fumantes:
No Dia Mundial sem Tabaco, a Organização Mundial de Saúde reforça a campanha pela proibição do fumo.

Fumante há sete décadas e meia, ex-presidente da Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo) Nestor Jost, 90 anos, acompanhará um novo round da luta antitabagista internacional. No Dia Mundial sem Tabaco, celebrado hoje, a Organização Mundial de Saúde (OMS) quer reforçar a transformação dos ambientes públicos fechados em ringue da batalha. A entidade ampliou a cobrança para que os países façam a proibição do cigarro, inclusive em fumódromos, em locais como bares, restaurantes e empresas.

O órgão busca incentivar o banimento total como forma de desestimular o consumo e reduzir os males aos fumantes passivos. Pensa que a medida ajudaria a frear um trágico número. Caso a lógica das estatísticas se confirme, o cigarro será o responsável pela morte de 548 brasileiros só nesta quinta-feira antitabaco: são 200 mil vítimas no país por ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O Brasil não conseguirá atender aos apelos da OMS tão cedo, mas se encaminha para que Jost, que também foi deputado federal pelo Rio Grande do Sul, e outros fumantes só consigam usar o cigarro em fumódromos nos ambientes fechados. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encerra, hoje, a discussão pública sobre a proposta de eliminar as alas de fumantes e não-fumantes e criar as áreas exclusivas para o cigarro. Centenas de empresas se anteciparam à resolução e já criaram seus fumódromos.

Eles desagradam a Jost, que fuma, em média, 10 cigarros por dia. O ex-parlamentar defende a falta de necessidade do espaço, porque acredita que a implantação de alas em bares e restaurantes já harmonizou a relação entre fumantes e não-fumantes, mas não crê muito na continuidade da atual situação.

Brasil reduziu pela metade os fumantes em 20 anos

A história dá razão ao seu pessimismo. Jost começou a fumar por influência dos amigos com 14 anos, numa época em que o cigarro seduzia pelo glamour.

O tabaco manteve a imagem até os anos 1970, quando a mobilização médica contribuiu para que seu hábito fosse cada vez mais malvisto. Primeiro, Jost e outros fumantes precisaram apagar os cigarros nos aviões. Depois, a restrição chegou aos ônibus e, na década de 1990, em estabelecimentos comerciais e ambientes públicos. Nos anos 2000, a lei vetou o fumo nos anúncios.

O cerco tem surtido efeito. Em menos de duas décadas, o Brasil reduziu pela metade o percentual de fumantes. São 16%, segundo o Inca, contra 34% em 1989.

- O país entendeu que o tabagismo não é um estilo de vida, mas um problema de saúde - defende Vera Colombo, sanitarista do Inca.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, deve anunciar, hoje, uma política de atenção aos dependentes.


De acordo com os especialistas, existem três espécies de fumantes ativos. O impertinente, que fuma por prazer, o compulsivo, que utiliza o cigarro para preencher lacunas de qualquer ordem, e o fumante-vítima, que está consciente dos riscos do cigarro e fuma com culpa. O cigarro, então, torna-se ilusoriamente um grande amigo, o companheiro, algo que preenche o vazio, alivia a sensação de angústia.

- O alivio é momentâneo e, portanto, não diminui a angústia e nem resolve o problema. Então, fuma-se cada vez mais, diz Eliane Brito em entrevista ao DC.

Dependência psíquica é o maior entrave:
A droga psicoativa, relata a psicóloga, altera o sistema nervoso central, modificando o comportamento, o humor, a percepção e o estado emocional do sujeito.

O tratamento de um dependente químico - como é o caso do fumante - é demorado e exige persistência, diz a psicóloga, salientando que a dependência orgânica é mais fácil de tratar. No final de mais ou menos duas semanas, um indivíduo poderá estar desintoxicado.

Já a dependência psíquica levará um período bem maior e é mais difícil de ser tratada, pois exigirá grande esforço, continuidade, mudança de hábitos e de padrões de comportamento e de todos os rituais associados ao vício.

Por que parar de fumar?
Porque o cigarro é diretamente responsável por:
> 30% das mortes por câncer
> 90% das mortes por câncer de pulmão
> 25% das mortes por doença coronariana
> 25% das mortes por doença cerebrovascular
> O tabagismo está relacionado a aneurisma arterial, trombose vascular, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias e impotência sexual no homem.
> Os fumantes adoecem com freqüência duas vezes maior do que os não-fumantes. Têm menor resistência física, menos fôlego e pior desempenho nos esportes e na vida sexual do que os não-fumantes.
> A mulher grávida que fuma, além de correr o risco de abortar, tem uma maior chance de ter filho de baixo peso, menor tamanho e com defeitos congênitos. Os filhos de fumantes adoecem duas vezes mais do que os filhos de não-fumantes.
Os métodos:
Os médicos sugerem orientação especializada para aumentar as chances de sucesso. Para quem quiser arriscar, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) recomenda dois métodos principais:
> Parada imediata - Marque uma data para deixar de fumar. Esse método deve ser sempre a sua primeira opção. Transforme o seu primeiro dia sem cigarro numa data especial. Em vez de torná-lo um dia de sofrimento, faça dele uma ocasião especial.
> Parada Gradual - Reduza o número de cigarros por dia ou retarde a hora do primeiro cigarro. Para a estratégia funcionar, não gaste mais de duas semanas para colocá-la em prática.
Os tratamentos:
Procure um médico, que avaliará qual o melhor tratamento para você:
> Gomas de mascar ou adesivos de pele: fazem a reposição de nicotina e amenizam a vontade de fumar.
> Antidepressivos: remédios como a bupropiona amenizam os sintomas da crise de abstinência. Costumam ampliar, em duas vezes, as possibilidades de abandonar a dependência.
> Vareniclina: Ele também debela o desejo de fumar que instiga a recaída. É uma solução que chegou este mês ao mercado brasileiro. Aumenta as chances de deixar o fumo em quatro vezes.
As armadilhas
> Momentos de estresse - Acalme-se e procure entender que fumar não vai resolver os problemas.
> Vontade de fumar - Não dura mais do que cinco minutos. Nesses momentos, para ajudar, chupe gelo, escove os dentes a toda hora, beba água gelada ou coma uma fruta. Mantenha as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, rabisque alguma coisa ou manuseie objetos pequenos. Não fique parado, faça algo diferente que distraia sua atenção.
Os medos:
> Síndrome de abstinência - O organismo volta a funcionar normalmente sem a presença de substâncias tóxicas, mas alguns fumantes podem apresentar sintomas de abstinência, como fissura (vontade intensa de fumar), dor de cabeça, tonteira, irritabilidade, alteração do sono, tosse e indisposição gástrica. Não se preocupe: esses sintomas costumam durar, no máximo, duas semanas.
> Recaída - Ela não representa um fracasso. Segundo o Inca, a maioria dos ex-fumantes fez, em média, de três a quatro tentativas até parar definitivamente.
> Engorda - É normal um ganho de peso de até dois quilos, porque o seu paladar vai melhorar e o metabolismo vai se normalizar. Beba muito líquido (de preferência, água e sucos naturais). Evite café e bebidas alcoólicas, que podem ser um convite ao cigarro.

31 DE MAIO - DIA MUNDIAL SEM TABACO

No Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio), o INCA aproveita para fazer um alerta: não fumantes expostos à fumaça do cigarro correm risco de ficar doentes e morrer por doenças comuns a fumantes. Os ambientes livres da fumaça ambiental do tabaco são tema das comemorações do Dia Mundial sem Tabaco em 2007. Na data, também será lançada a Rede Ibero-Americana para o Controle do Tabagismo (RIACT) que envolverá países da América Latina, Portugal e Espanha. O Brasil será o articulador da rede que tem como objetivo a troca de experiências governamentais bem sucedidas no controle do tabagismo.

Com o tema escolhido para 2007, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pretende trabalhar com o conceito de ambientes 100% livres da fumaça ambiental do tabaco, chamando a atenção para o fato de que ventilação e filtragem do ar não são suficientes para reduzir a exposição passiva aos malefícios da fumaça. O INCA preparou uma série de materiais, como cartazes e folhetos, que foram enviados para que as secretarias estaduais e municipais de saúde pudessem comemorar a data por todo o Brasil. Os materiais estão disponíveis em www.inca.gov.br/tabagismo, onde também há a programação das comemorações pelo país.

O Ministério da Saúde criou um grupo formado pelo INCA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e representantes de outras instituições, para elaborar uma regulamentação que corrige algumas brechas deixadas pela lei 9.294/96, que dispõe sobre a proibição do fumo em ambientes fechados. O fim de espaços reservados para fumantes e não fumantes dentro de um mesmo ambiente é uma das propostas. A nova regulamentação da Anvisa encontra-se aberta à consulta pública no sítio da Agência, www.anvisa.gov.br.

A articulação da Rede Ibero-Americana para o Controle do Tabagismo foi um compromisso assumido pelo Brasil durante a VII Conferência Ibero–Americana de Ministras e Ministros de Saúde, em Granada, na Espanha em 2006. “A RIACT cria oportunidades para que possamos colocar em prática a cooperação e intercâmbio de informações entre o governo de nossos países” diz a médica Tânia Cavalcante, chefe da Divisão de Controle do Tabagismo do INCA. A Rede contará com um site que permitirá a realização de reuniões virtuais, fóruns de discussão, alem da publicação das notícias mais recentes sobre o tema.

30 maio 2007

DIA MUNDIAL SEM TABACO

Dia Mundial Sem Tabaco será comemorado dia 31 de maio:

Sociedades médicas de todo o mundo aproveitam o Dia Mundial Sem Tabaco - que será celebrado amanhã, dia 31 de maio - para reivindicar a proibição total do fumo em espaços fechados, assim como o financiamento do tratamento para quem quiser largar o vício.

No Brasil, cerca de 80 mil pessoas morrem ao ano por causa do hábito de fumar. O país é o sexto maior mercado de cigarros do mundo e o primeiro, desde 1994, na exportação da folha do tabaco, apesar de ser o quarto maior produtor mundial.

Um terço da população adulta fuma no Brasil, o que representa 11,2 milhões de mulheres e 16,7 milhões de homens, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Instituto Nacional do Câncer.


Só na China o tabagismo causa um milhão de mortes por ano, segundo um relatório publicado pela imprensa local. No país morrem anualmente mais de 100 mil pessoas devido a doenças relacionadas ao tabagismo passivo, que afeta 540 milhões de chineses, sobretudo mulheres e crianças.


O gigante asiático, que ratificou em 2005 a Convenção para Controle do Tabaco da OMS, é o principal consumidor e produtor de tabaco do mundo, sendo que os fumantes chineses consomem metade dos cigarros do planeta.


O Japão é um dos países industrializados onde os fumantes consomem mais cigarros, segundo a OMS, já que seus mais de 42 milhões de viciados fumam em média quase 130 pacotes por ano. É o terceiro consumidor mundial de tabaco, atrás da China e dos Estados Unidos, e o primeiro dos três em taxa de cigarros por habitante.


A Rússia é o país com maior percentagem de fumantes do mundo, já que 70% dos homens e cerca de 30% das mulheres russas fumam, anunciou Boris Grizlov, presidente da Duma (Assembléia Nacional).


O país também ocupa o primeiro lugar em crescimento do consumo, 50% nos últimos dez anos, e em número de fumantes entre os adolescentes, cerca de 50%.


A Rússia vem logo após a China e os EUA na produção de tabaco, já que fabricou 413 bilhões de cigarros em 2006.


Na Espanha, a ministra da Saúde, Elena Salgado, assegurou hoje que a lei antitabaco, em seu primeiro ano de aplicação, foi um sucesso "inquestionável" nos lugares de trabalho e provocou uma redução das vendas de cigarros de 3%.


Diante do plenário do Senado, disse que nestes doze meses 750 mil pessoas deixaram de fumar.


Na Índia, um dos principais produtores de tabaco do mundo, não existe uma lei específica que regule o consumo, embora o Governo vá proibir o fumo em lugares públicos e centros de trabalho de Nova Délhi e Mumbai a partir de 2009.


No Chile, cerca de 14 mil chilenos morrem a cada ano por causas atribuídas ao tabaco, segundo seu Ministério da Saúde, O número representa 17% do total de mortes no país, que tem a maior taxa de consumo de cigarro na América Latina, com 42%, junto com a Argentina.


Neste país, um terço da população adulta fuma, e são gastos a cada dia mais de 12 milhões de pesos (US$ 3,8 milhões) no atendimento de pessoas com doenças vinculadas ao tabaco.


Dados da OMS indicam que mais de 40 mil argentinos morrem anualmente devido ao tabagismo.


No México o número total de mortes anuais pela doença associadas ao tabaco supera as 53 mil, o que equivale a 147 óbitos por dia, segundo o Conselho Nacional contra as Dependências.


Para os mexicanos existe proibição total da publicidade de cigarros em rádio e Internet desde 2003.


O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, oncologista de profissão, empreendeu uma guerra frontal contra o tabagismo após assumir o cargo em 2005, e proibiu o fumo em repartições públicas, lugares de trabalho em geral, clubes, bares, restaurantes e discotecas.

No Equador, uma lei orgânica declara "problema de saúde pública o consumo de tabaco" e prevê a elaboração de planos de educação para a prevenção de seu consumo.

Em Honduras, anualmente são consumidos cerca de 120 milhões de maços de cigarros e as crianças começam a fumar aos oito anos, enquanto antes a média era entre os 13 e 15 anos, segundo fontes oficiais.

Na Nicarágua rege desde 1996 a lei de proteção dos direitos humanos dos não fumantes, que regula o uso e publicidade do tabaco, embora boa parte de suas disposições não sejam cumpridas.

Enquanto na Costa Rica e El Salvador não existem legislações específicas que restrinjam o consumo de tabaco, salvo em lugares como hospitais, no Panamá se promove um projeto de lei que procura controlá-lo aumentando o preço em 233%.

Em Cuba mais de dois milhões de pessoas fumam e 40% dos fumantes começou a fazê-lo entre os 12 e os 16 anos, segundo especialistas do Programa Nacional de Prevenção e Controle do Tabagismo.

O tabagismo é a segunda causa de morte entre os cubanos, causando 30% das mortes por câncer.

Em Porto Rico entrou em vigor em março passado uma lei que impede acender cigarros em lanchonetes, restaurantes, bares, cassinos, comércios, creches, asilos e nos lugares de trabalho com mais de um empregado.

Na França, desde o dia 1º de fevereiro de 2007 está proibido fumar nos centros de trabalho e outros lugares públicos fechados.

Os restaurantes, bares, cassinos e discotecas estão eximidos da proibição até o primeiro dia de 2008.

Na Alemanha, onde se calcula que um terço da população adulta fume, a idade média do começo do vício é os 13 anos.

Segundo o Ministério da Saúde alemão, cerca de 140 mil mortes anuais são conseqüência direta do tabaco, às quais podem se somar as de cerca de 3.300 fumantes passivos.

Na Itália não se pode fumar em lugares públicos desde 2005, o que coincide com uma queda dos consumidores, segundo o Instituto de Pesquisas Farmacológicas Mario Negri.

Em Portugal, a Assembléia legislativa estuda uma nova lei sobre tabagismo que aumentará para 18 anos a idade para a venda de tabaco e proibirá o fumo em locais de trabalho, estabelecimentos comerciais - salvo em espaços específicos - e escolas.

Na Suíça a luta contra o tabaco é liderada no cantão de Ticino, que há pouco mais de um mês proíbe fumar em todos os lugares públicos.

Nas Filipinas cerca de 60% dos homens são fumantes, não existe uma lei nacional que impeça os menores de comprar tabaco e cada ano são atribuídas cerca de 25 mil mortes diretamente ao consumo de tabaco, o que custa ao Estado filipino cerca de US$ 1 bilhão com despesas na área de saúde.

A Indonésia está entre os 15 países onde vivem mais da metade dos fumantes do mundo, junto com outros da Ásia como China, Índia, Filipinas, Tailândia e Vietnã.

O tabaco mata ao ano na Malásia perto de 10 mil pessoas por causa de doenças relacionadas com o hábito de fumar, como o câncer de pulmão e as doenças cardiovasculares.

Na Austrália cada estado e território conta com suas próprias leis reguladoras sobre a proibição de fumar em espaços públicos e lugares de trabalho.

Em todos eles está proibido fumar dentro de edifícios públicos, restaurantes e bares, com a exceção (em alguns estados) das áreas destes últimos onde há máquinas que vendem cigarros.

Os Emirados Árabes Unidos proíbem há vários anos o fumo em lugares fechados.

O Governo de Dubai, capital comercial do país, aplicará em junho uma lei que proíbe fumar nos centros de trabalho e comerciais, meios de transporte e outros lugares públicos.

Outros países do Conselho de Cooperação do Golfo, integrado, além disso, pela Arábia Saudita, Catar, Kuwait, Barein e Omã, proíbem o cigarro em lugares fechados.

RELATÓRIO: EEB OSVALDO ARANHA

E.E.B. OSVALDO ARANHA

PROGRAMA NEPRE

Atividades desenvolvidas

MÊS MARÇO:
DIA 13 – PALESTRA PREVENTIVA À GRAVIDEZ PRECOCE E D.S.T.
Foram reunidos no auditório da escola os alunos do Ensino Médio dos turnos matutino e noturno.
A palestra foi proferida pelo biomédico Fernando, do Grupo Saúde e Vida, de São Paulo. O objetivo era informar e conscientizar os jovens sobre os problemas que se acarretam numa gravidez precoce: risco à saúde da mãe e do bebê, responsabilidades assumidas no cuidado, criação e educação de um filho, perda do ano letivo e/ou abandono da escola e as consequências, muitas vezes graves, que levam à morte da falta de prevenção às doenças sexualmente transmissíveis como camisa-de-vênus e camisinha feminina.

DIA 23 – VISITA DO DENTISTA DO POSTO DE SAÚDE DO BAIRRO VILA NOVA
Os alunos do Pré-Escolar a 5ª série assistiram uma palestra do responsável pelo trabalho de prevenção e tratamento odontológíco do posto de Saúde do Bairro Vila Nova.
O objetivo era orientar, estimular e conscientizar os alunos da importância da higiene bucal na prevenção de doenças relacionadas não apenas à boca, mas os sintomas e enfermidades em outros órgãos.
O palestrante examinou os alunos para detectar o estado da saúde bucal de cada um. Os casos mais simples: limpeza, restaurações são tratados no próprio Posto de Saúde, os mais graves, após o contato com a família e/ou responsável pelo paciente, são agendados e encaminhados para o Consultório/modelo da Faculdade de Odontologia da Univille, onde estudantes são orientados por seus professores nos procedimentos indicados para a resolução do problema apresentado pelo paciente.

MÊS ABRIL:
DIA 02 – PALESTRA DOS ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA DA ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO SOBRE PROBLEMAS OCASIONADOS
PELA MÁ POSTURA CORPORAL
Os alunos do 1º ano do Ensino Médio assistiram, uma palestra sobre as lesões causadas pela má postura corporal, feita pelos alunos da Faculdade de Fisioterapia da ACE, acompanhados pela professora do curso.
Além das explicações e demonstrações do que é errado e certo na postura corporal, foram mostrados slades sobre as consequências e qual o tratamento adotado para reparar as lesões.
Essa palestra serviu para enfatizar o papel e a responsabilidade de ser Cidadão, fazer parte de uma comunidade e com as informações dadas pelos palestrantes, divulgar a importância do tratamento feito pelos fisioterapeutas no que se refere a melhoria da qualidade de vida de todos.

DIA 09 – PALESTRA SOBRE DROGAS
A palestra sobre uso de drogas – prevenção e consequências físicas, familiares, psicológicas, profissionais – foi realizada por um grupo de alunos de Terapia Ocupacional – curso ministrado pela Associação Catarinense de Ensino – ACE de Joinville.
Os palestrantes trouxeram material ilustrativo para servir de orientação e alerta aos estudantes de 5ª a 8ª séries do período vespertino.
Os alunos puderam fazer perguntas e obter os esclarecimentos sobre os pontos que julgavam mais importante.

MÊS MAIO:
DIA 07 – PALESTRA DE ESTUDANTES DA ACE
TEMA: GRAVIDEZ PRECOCE
A palestra foi realizada por estudantes da Associação Catarinense de Ensino para alunos da 6ª, 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental.
Reunidos no auditório da escola, os alunos foram conscientizados da importância de conhecer o próprio corpo, da prevenção, das consequências que terão que arcar sem usar a devida precaução: doenças sexualmente transmissíveis e gravidez precoce.
Falou-se sobre o despreparo biológico e psicológico tanto das meninas quanto dos meninos; no caso da mulher, os problemas de saúde: a má formação do feto e o aborto espontâneo estão entre as principais problemas numa gravidez precoce e/ou não planejada.

DIA 28 – MEIO AMBIENTE
ALUNOS: 4ºs SÉRIES
PROFESSORA: Maria Cristina – Artes
Os alunos da 4ª série, monitorados e orientados pela professora Maria Cristina, montaram uma peça teatral sobre o Meio Ambiente, no auditório da escola.
O objetivo era alertar e conscientizar as crianças sobre a importância da preservação do meio ambiente para essas e demais gerações.
Foi um teatro de fantoche produzidos e manipulados pelos alunos.

DIA 29 – VISITA PROGRAMA DE PREVENÇÃO AO TRAUMA HMSJ
ALUNOS: 3ºs ANOS DO ENSINO MÉDIO
PROFESSORA: DANIELA BIBOW – BIOLOGIA
O primeiro encontro foi no auditório do hospital onde tiveram informações sobre o projeto – iniciativa inédita do HMSJ – dadas por médicos, terapeutas, enfermeiros voluntários, e pacientes que sofreram traumatismo causados por acidentes de trânsito e domésticos, pela imprudência, pelo uso de armas de fogo, drogas e álcool.
A professora e 25 alunos ouviram as palestras e depoimentos de profissionais e pacientes, puderam visitar os quartos e a Unidade de Terapia Intensiva UTI – para constatar o que foi relatado nas palestras, conversaram com pacientes e souberam das muitas histórias de pessoas que quase perderam a vida e/ou ficarão com sequelas e terão que se readaptar a uma nova realidade.
Após as visitas, participaram de um teatro em que os alunos dramatizavam as situações vistas nos quartos e UTI, onde, como atores, puderam colocar-se na situação dos pacientes, familiares e amigos.
O objetivo era conscientizar nossos estudantes da importância da vida, das consequências da irresponsabilidade e do descaso consigo próprio.

MURAL:
São utilizados murais e cartazes contendo informações gerais: prevenção contra doenças, campanhas de saúde pública, Informativos e reportagens a respeito de temas preventivos como: drogas , doenças, violência, etc.

29 maio 2007

TABAGISMO E INFÂNCIA

Segundo OMS: 50% das crianças estão expostas ao cigarro.

A metade das crianças de todo o mundo é exposta à fumaça do cigarro segundo alertou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS), que pediu a todos os países que erradiquem o uso do tabaco dos lugares públicos e do trabalho.
Frente à celebração na próxima quinta-feira do Dia Mundial sem Tabaco, a OMS quer chamar a atenção este ano sobre a necessidade de proteger os "fumantes passivos".
"É evidente que não existe um nível de exposição mínimo à fumaça sem perigo", assegurou hoje Margaret Chan, diretora geral da OMS, em cuja sede é proibido fumar e que, inclusive, desde dezembro de 2005, não contrata fumantes.
"Muitos países já tomaram medidas, por isso que convido todos os outros para fazer o mesmo o mais rápido possível, adotando leis para exigir que todos os lugares públicos e de trabalho fechados fiquem 100% livres de fumaça", acrescentou. A fumaça do cigarro contém cerca de quatro mil substâncias químicas conhecidas, entre elas mais de 50 cancerígenas, segundo a OMS, que adverte que o tabagismo passivo causa cardiopatias e graves doenças respiratórias e cardiovasculares suscetíveis de provocar a morte prematura entre adultos.
Além disso, entre as crianças também causa doenças e agrava afecções já existentes, como a asma. Segundo uma pesquisa realizada pela OMS, em colaboração com outras organizações, entre estudantes de 13 a 15 anos de 132 países, 43,9% dos entrevistados estavam expostos à fumaça do tabaco em suas casas e 55,8% nos lugares públicos.
Já 76,1% deles eram a favor de proibir o cigarro nos lugares públicos, segundo os dados divulgados hoje pela OMS a partir das entrevistas feitas entre 1999 e 2005 para essa mesma pesquisa.
Junto ao custo de vidas e de saúde que o tabagismo passivo possa ter, a OMS assegura que existem muitos outros custos diretos e indiretos, defendendo, por exemplo, que um centro de trabalho onde se fuma seja mais caro que outro no qual não se fuma, devido às despesas de renovação, limpeza, risco de incêndios e possíveis taxas de seguros mais altas.
Douglas Bettcher, diretor da Iniciativa da OMS por um Mundo sem Tabaco, acredita que a escolha do "tabagismo passivo" com tema deste ano contribui para impulsionar o pedido da sociedade para se criar um grande número de lugares sem fumaça.
O tabaco mata cinco milhões de pessoas ao ano e é a principal causa de mortalidade evitável no mundo todo, embora seu crescimento é especialmente preocupante nos países em desenvolvimento, onde já acontecem cerca da metade das mortes. A OMS prevê que em 2030, oito de cada dez mortes ligadas ao tabaco acontecerão no mundo em desenvolvimento.

Leia mais:

DIA MUNDIAL SEM TABACO

Ambiente livre do tabaco é tema do Dia Mundial sem Tabaco:


O tabagismo é a primeira causa de morte evitável em todo o mundo. As conseqüências da exposição à fumaça do tabaco em lugares fechados é destaque na comemoração do Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio. Este ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o tema “Ambiente Livre do Tabaco” para a data.

O objetivo é discutir o conceito de ambientes totalmente livres do tabaco, chamando a atenção para o fato de que ventilação e a filtragem do ar não são suficientes para reduzir a exposição passiva aos malefícios da fumaça. “Um ambiente 100% sem tabaco é única maneira de proteger totalmente a população da exposição às doenças relacionadas com o fumo”, afirma a chefe da Divisão de Controle do Tabagismo do INCA, Tânia Cavalcante.

Diversas ações educativas e de mobilização social estão previstas para o dia 31 de maio. Veja a programação completa:
Em todos os estados brasileiros serão promovidos eventos informativos sobre prevenção do câncer e controle do tabagismo, sempre em locais de grande circulação.

Apostar em ambientes sem fumaça do tabaco, as razões da OMS:

1 – O tabaco mata e provoca doenças graves;

2 – Um ambiente 100% livre de tabaco protege totalmente a população dos riscos graves da exposição ao fumo desta substância;

3 – O direito ao ar puro faz parte dos Direitos Humanos;

4 – Estatísticas revelam que a proibição de fumar é apoiada tanto por fumantes como por não-fumantes;

5 – Ambientes sem fumaça de tabaco são tão bons para negócios como para famílias com crianças;

6 – Ambientes sem fumaça dão aos fumantes que estão tentando deixar de fumar um incentivo para fazê-lo;

7 – Ambientes sem fumaça ajudam a prevenir, principalmente os mais jovens, de se iniciarem como fumantes.

Fonte : INCA

28 maio 2007

TABAGISMO: ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Fonte: JB Online
Data: 21/05/2007
GENEBRA

O fumo matará 8,3 milhões de pessoas em 2030, 50% mais que hoje, e 80% das vítimas serão habitantes de países de renda média e baixa, segundo dados do relatório de Estatística Sanitária Mundial 2007, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Durante a 60 ª Assembléia Mundial da Saúde, em Genebra, a OMS publicou seu último relatório estatístico. Ele conclui que em 2030 as quatro causas mais comuns de mortalidade serão as doenças cardíacas e pulmonares, os ataques cerebrais e a aids. As mortes relacionadas ao vírus da aids terão duplicado, chegando a 6,5 milhões anuais.

No entanto, em 2015, as mortes por tabagismo serão 10% do total e 50% a mais que as provocadas pela aids, segundo os cálculos da organização. Em 2030, as doenças não contagiosas deverão causar 70% das mortes. Além disso, as mortes por ferimentos aumentarão 40% devido ao forte aumento dos acidentes de trânsito.

A OMS alerta em seu relatório para a má distribuição das despesas em saúde no mundo. Os 30 países mais industrializados, onde vivem menos de 20% da população mundial, dispõem de 90% do orçamento global no setor. Em 2004, os países da OCDE gastaram US$ 3.080 por habitante em saúde, contra US$ 102 da África e do Sudeste Asiático.


União Européia condena o cigarro
Fonte: Jornal O Povo / CE
Data: 23/05/2007

A maioria dos europeus apóia a proibição do fumo em lugares públicos, segundo um estudo da União Européia divulgado ontem. A pesquisa também mostra uma estabilização no número de fumantes, apesar de mais de meio milhão de pessoas morrerem devido ao consumo de cigarros no Continente.

As políticas para eliminar o cigarro nos espaços públicos e locais de trabalho nos 27 países da União Européia têm o apoio de 88% dos europeus, de acordo com um estudo do Eurobarômetro, instituto de pesquisas da Comissão Européia (braço executivo da UE), apresentado ontem em Estrasburgo (leste da França).

Os percentuais de apoio mais elevados foram registrados nos países que já adotaram esse tipo de lei, como a Irlanda, a Suécia e a Itália, ressaltou a pesquisa. Na Espanha, o apoio é de 83%, mesmo que apenas 58% (o segundo número mais baixo depois da Áustria) sejam completamente favoráveis a uma proibição deste tipo.

Embora o apoio dos europeus à proibição do fumo se mantenha firme no que diz respeito a restaurantes (77%), o percentual cai sensivelmente quando a restrição atinge os bares (62%). Entre os fumantes, 59% são a favor de que se elimine o cigarro nos restaurantes, mas apenas 38% apóiam a mesma medida para os bares. "É muito bom saber que o apoio da opinião pública é tão elevado. Isso não faz mais do que reforçar o impulso para eliminar o cigarro em 2009 dos espaços públicos e locais de trabalho na Europa", comentou o comissário europeu de Saúde, Markus Kyprianou.

O estudo mostrou que um em cada três europeus declara estar exposto ao cigarro durante o trabalho, com porcentuais que variam segundo a profissão. Segundo dados oficiais, essa taxa alcança até 85% na Grécia, enquanto que na Irlanda, fica em 4%. Em relação aos funcionários de restaurantes e bares, o percentual é de 70%, segundo o Eurobarômetro. Quanto ao consumo de cigarros na União Européia, quase metade dos europeus (47%) declarou nunca ter fumado, um em cada cinco (21%) afirma ter largado o vício e um terço dos entrevistados (32%) fuma.

A pesquisa do Eurobarômetro mostrou que um em cada três fumantes tentou largar o vício no ano passado, embora 70% tenham voltado a fumar em dois meses, principalmente devido ao estresse. O Reino Unido registrou o maior percentual de pessoas que tentaram, sem sucesso, parar de fumar (42%), enquanto que a Espanha teve a maior taxa de fumantes que não querem abandonar o vício (80%). A Comissão Européia anunciou ontem o lançamento para o próximo 31 de maio de um novo serviço, via e-mail, de ajuda para quem quer parar de fumar.

Segundo números da comissão, 650.000 pessoas morrem anualmente na União Européia em decorrência do tabagismo, enquanto que outras 80.000 são vítimas do fumo passivo, o que torna o vício a causa de doenças e mortes prematuras com mais possibilidades de ser evitada. Especialistas acreditam que 25% das mortes por câncer e 15% do total de mortes poderiam ser atribuídas à dependência em nicotina.

CONCURSO SENAD

SENAD: CONCURSO NACIONAL DE PREVENÇÃO
DO USO DE DROGAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

1. OBJETIVO

O Concurso Nacional de Prevenção do uso Drogas no ambiente de Trabalho promovido pela Secretaria Nacional Antidrogas – SENAD, em parceria com o Serviço Social da Indústria – SESI/Departamento Nacional, tem por objetivo reconhecer e valorizar as ações na área de prevenção do uso de drogas no ambiente de trabalho desenvolvidas pelos profissionais que atuam em indústrias/empresas.

2. PÚBLICO-ALVO

Poderão participar do concurso somente os profissionais:
a) que foram certificados no Curso de Prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho: conhecer para ajudar, promovido, em 2006, pela SENAD, em parceria com SESI/DN e executado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);
b) que fazem parte do quadro de pessoal da indústria/empresa e estejam desenvolvendo ações de prevenção no ambiente de trabalho.

3. INSCRIÇÃO

3.1. A inscrição é gratuita e deverá ser efetuada somente via Internet, conforme procedimentos especificados a seguir.

3.2. Será admitida a inscrição exclusivamente via Internet, solicitada no período entre 14 horas do dia 14 de maio de 2007 e 23 horas e 59 minutos do dia 03 de junho de 2007, observado o horário oficial de Brasília/DF.

3.3. A inscrição deve ser feita em nome do profissional certificado no Curso de Prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho: conhecer para ajudar.

3.4. Para inscrever-se no Concurso, os profissionais interessados deverão encaminhar um PROJETO que descreva as ações de prevenção do uso de drogas que estão sendo desenvolvidas no ambiente de trabalho, conforme “ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS”, constante no Anexo I deste regulamento.

3.5. Os projetos deverão ser encaminhados, juntamente com a ficha de inscrição preenchida, somente para o endereço eletrônico concurso@planalto.gov.br.

3.6. A ficha de inscrição estará disponível nos sítios do Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas – OBID www.obid.senad.gov.br e do Serviço Social da Indústria www.sesi.org.br

3.7. Não serão aceitas as inscrições que não atendam aos requisitos deste Regulamento nem aquelas que forem apresentadas fora do prazo.

3.8. A SENAD e o SESI/DN não se responsabilizam pelas inscrições que não forem completadas por falta de energia elétrica, problemas no servidor, na transmissão de dados, na linha telefônica ou em provedores de acesso dos usuários, por casos fortuitos ou de força maior, bem como aquelas inscrições que apresentarem dados incorretos, incompletos ou inverídicos, que serão automaticamente eliminadas, cabendo ao proponente assegurar-se do correto envio da inscrição.

3.9. É vedada a inscrição de profissionais:
a) que sejam funcionários da SENAD e do SESI/DN e/ou participantes que tenham com eles vínculos familiares diretos;
b) que sejam membros da Comissão Julgadora e/ou participantes que tenham com eles vínculos familiares diretos;.
c) que sejam funcionários das instituições que estão inseridas no material pedagógico (livro texto e/ou videoaula) do Curso de Prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho: conhecer para ajudar.


4. DA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

Os projetos devem ser apresentados de acordo com os seguintes critérios:
a) Encaminhados em formato digital (PDF);
b) Papel formato A4;
c) Fonte arial, corpo 12, espaçamento entre as linhas de 1,5;
d) Conter no mínimo 05 laudas e no máximo 15 laudas, todas devidamente numeradas;
e) Margens: esquerda 3 cm; direita 2 cm; superior 3 cm; inferior 2 cm;
f) Ser formatados de acordo com o “ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS”, constante do Anexo I deste regulamento.

5. DA AVALIAÇÃO

5.1. A avaliação dos projetos será feita por uma Comissão Julgadora coordenada por membros da SENAD e do SESI/DN e formada por profissionais especializados e nomeados, sem ônus. A comissão elegerá o melhor trabalho, conforme os seguintes critérios:

a) Apresenta todos o itens exigidos no ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO, constante no anexo I deste regulamento.
b) Coerência com as diretrizes da Política Nacional sobre Drogas – PNAD;
c) Coerência com as orientações gerais do Curso de Prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho: conhecer para ajudar.


6. DA PREMIAÇÃO

6.1. A SENAD e o SESI/DN realizarão a entrega dos prêmios e das condecorações em solenidade especial durante a IX Semana Nacional Antidrogas, a realizar-se em Brasília, entre os dias 19 e 26 de junho de 2007.

6.2. Serão premiados:

a) Os profissionais:
1º Lugar - Prêmio de R$ 6.000,00 para o profissional
Passagem aérea e diária para comparecimento do vencedor no dia da cerimônia de premiação.

2º Lugar - Prêmio de R$ 4.000,00 para o profissional
Passagem aérea e diária para comparecimento do vencedor no dia da cerimônia de premiação.

3º Lugar - Prêmio de R$ 2.000,00 para o profissional
Passagem aérea e diária para comparecimento do vencedor no dia da cerimônia de premiação.

b) As indústrias/empresas

As indústrias/empresas onde os projetos vencedores (1º, 2º e 3º lugares) são desenvolvidos serão agraciadas com uma condecoração específica e os respectivos representantes virão a Brasília para a cerimônia de premiação com todas as despesas de passagens aéreas e diárias pagas pelo SESI/DN.

7. DOS RESULTADOS

7.1. O resultado estará disponível no portal do OBID www.obid.senad.gov.br e no sítio do SESI www.sesi.org.br no dia 13 de junho de 2007.

7.2. Os vencedores deste concurso serão comunicados do resultado por intermédio de ofício, telefone ou correio eletrônico para que possam tomar as devidas providências para o recebimento da premiação.

8. DOS RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS

8.1. As despesas referentes às premiações e ao transporte e hospedagem dos vencedores serão financiados pelo Serviço Social da Indústria – SESI/DN.

9. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

9.1. Das decisões da Comissão Julgadora não caberão recursos.

9.2. O ato de inscrição implica a aceitação total do presente regulamento.

9.3. No caso de o projeto vencedor ter sido elaborado por mais de um profissional, o prêmio será dividido pelo número de autores. Comparecerá a Cerimônia de premiação apenas um profissional.

9.4. A Secretaria Nacional Antidrogas e o SESI/DN reservam-se o direito de publicação e divulgação dos projetos por tempo indeterminado. A inscrição no concurso implica a cessão de uso dos trabalhos à SENAD e ao SESI/DN, sem qualquer tipo de ônus.

9.5. Os casos omissos serão resolvidos por comissão designada pela SENAD e pelo SESI/DN.

25 maio 2007

TABAGISMO

Proibição do fumo deve começar dia 31 de maio:

A partir de 31 de maio a restrição ao fumo no Brasil passa a ser muito mais rigorosa. Pelo menos essa é a vontade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Uma nova resolução, que proíbe terminantemente o tabagismo em ambientes públicos - salvo em salas fechadas e com ventilação dentro dos padrões estabelecidos pela agência.

Até essa data, qualquer cidadão pode apresentar sugestões e correções para o texto final da resolução - disponível no site www.anvisa.gov.br.

O gerente de produtos derivados de tabaco da agência, Humberto Coelho Martins, confirma que a Anvisa quer publicar a forma definitiva da resolução no dia 31 de maio, Dia Mundial sem Tabaco:

- A fumaça ambiental do tabaco ataca tanto aos fumantes quanto aos não-fumantes

A proposta da Anvisa é de uma radicalização semelhante à existente em outros países do mundo, confirma Martins. Para o gerente, a idéia é parecida com as práticas do Canadá, da Irlanda e algumas partes dos EUA e França.

Leia mais da entrevista com Humberto Martins:

Qual será o procedimento quando for encerrada a consulta?
Humberto Coelho Martins - Depois de encerrada os dados serão consolidados e vão para a diretoria colegiada da Anvisa averiguar. Sendo aprovada, ela vai ser publicada no Diário Oficial da União. Depois de publicada no Diário Oficial, os estabelecimentos terão até 180 dias para se adequarem à resolução.

E quanto tempo deve levar esse processo?
A nossa idéia é lançar a resolução no dia 31 de maio, que é o Dia Mundial sem Tabaco. Acho que a gente consegue lançar nesse dia.

E o sr. acha que deve haver grandes mudanças?
Acho que não. A aceitação está boa, inclusive já foi divulgada uma pesquisa que deu 80% de aceitação às novas medidas.

A medida deve ter um impacto forte para os bares e restaurantes?
Não, a lei da proibição já existe. Só que ela tem brechas. A resolução vem para regulamentar melhor essa lei, para fechar essas brechas. O objetivo é a proteção do não-fumante. A fumaça ambiental do tabaco ataca tanto aos fumantes quanto aos não-fumantes.

Existem normas parecidas no mundo?
Há similares no Canadá, nos Estados Unidos, na Irlanda e está começando na França.

E quais os benefícios a médio prazo?
Ar mais limpo para a população.

PROJETO: EEB ANTÔNIA ALPAÍDES CARDOSO DOS SANTOS


Escola de Educação Básica Professora Antônia Alpaídes Cardoso dos Santos
Diretora: Maria Rosa Sellmer e Assessora Adriana S. da Rosa
Responsável pelo Projeto: Suziane Marques
Cronograma: maio e junho de 2007
Turmas: 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental
Disciplinas: todas as áreas do conhecimento - interdisciplinar
Tema: Orientação sexual – O papel social do homem e da mulher, o respeito por si e pelo outro
.

Justificativa: Orientação sexual é um tema transversal, por isso deve ser trabalhado em sala de aula com muita vivacidade.A grande preocupação dos educadores de se trabalhar a sexualidade surgiu na década de 80, devido ao grande crescimento da gravidez indesejada entre os adolescentes e com o risco de contaminação pelo HIV (Vírus da AIDS) e as DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).O fato de a família ter valores arraigados, liberais ou progressistas, professar alguma crença religiosa ou não e a forma como o faz determina em grande parte a educação das crianças.A criança sofre influências também de muitas outras fontes: de livros, da escola, de pessoas que não fazem parte da sua família e nos dias de hoje, principalmente pela mídia. Todas estas questões são trazidas pelos educandos para dentro da escola, cabe então a escola desenvolver uma ação crítica, reflexiva e educativa.Sabe-se que a curiosidade das crianças a respeito da sexualidade são questões muito significativas para a subjetividade na medida em que se relaciona com o conhecimento das origens de cada um e com o desejo de saber. A oferta por parte da escola, de um espaço em que os alunos possam esclarecer suas dúvidas e continuar formulando novas questões, contribui para o alívio das ansiedades que muitas vezes interferem no aprendizado dos conteúdos escolares.A existência do projeto possibilita a realização de ações preventivas às doenças sexualmente transmissíveis, ao HIV, à gravidez indesejada e ao abuso sexual, de forma mais eficaz. E contribui para o bem-estar das crianças e dos jovens na vivência de sua sexualidade atual e futura.A sexualidade tem grande importância no desenvolvimento e na vida psíquica das pessoas, pois independentemente da potencialidade reprodutiva, relaciona-se com a busca do prazer, necessidade fundamental dos seres humanos. Além disso, sendo a sexualidade construída ao longo da vida encontra-se necessariamente marcada pela história, cultura, ciência, assim como pelos afetos e sentimentos, expressando-se então com a singularidade em cada sujeito.Em relação à puberdade, as mudanças físicas incluem alterações hormonais, é a fase das descobertas e experimentação em relação à atração pelo outro.Tem-se que auxiliar os educandos a discriminar o que pode e dever ser feito compartilhado no grupo e o que deve ser mantido como uma vivência pessoal deve-se informar e discutir os diferentes tabus, preconceitos, crenças e atitudes existentes na sociedade, tendo uma condição de maior assimilação das informações recebidas, transformando-as em conhecimentos.Por fim, a condução deste projeto de estudo, a postura do educador é de fundamental importância, compreendendo na ação da escola como complemento a educação dado pela família, deixando bem claro que a abordagem oferecida a partir de uma visão pluralista de sexualidade e o papel da escola é abrir espaço para que esta pluralidade de concepções, valores e crenças possam se expressar, não compete a escola, em nenhuma situação julgar como certa ou errada a educação que cada família oferece.

Objetivo Geral: Respeitar a diversidade de valores, crenças e comportamentos existentes e relativos à sexualidade, desde que seja garantida a dignidade do ser humano, conhecendo seu corpo, valorizando cuidando de sua saúde como condição necessária para usufruir do prazer.

Objetivos Específicos: Reconhecer como determinação cultural as características socialmente atribuídas ao masculino e ao feminino, posicionando-se contra discriminação a eles associados (preconceito)· Conhecer e adotar posturas (ações) que protegem seu corpo ao iniciar um relacionamento a curto, a médio ou em longo prazo, procurando orientação para adoção de métodos contraceptivos;· Possibilidade de conceber a sexualidade de forma saudável, prazerosa e responsável, contemplando uma visão ampla e não-reducionista das questões que envolvem a sexualidade e o seu desenvolvimento no âmbito pessoal.

Conteúdos Curriculares: Corpo e mente (puberdade – mudanças físicas e mentais);· Relações pessoais (social);· Prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis;· Doenças;· Valores e crenças sobre a sexualidade.

Metodologia – Atividades: Fazer a Linha do Tempo da sua vida, escrevendo tópicos com o que mais marcou na sua vida – ano a ano;· Desenhar você mesmo quando era criança e agora, para observar a sua mudança física – trazer uma foto para esta observação;· Pesquisar em livros de ciências e biologia sobre o aparelho reprodutor masculino e feminino e a reprodução humana. Desenhar em papel craft a ilustração do livro e escrever os nomes dos órgãos;· Fazer a árvore genealógica de sua família – tarefa para casa;· No retro projetor mostrar gravuras e conceitos sobre os métodos contraceptivos e sobre as DST, após discutir no grande grupo a respeito;· Ler em jornais ou revistas uma notícia sobre sexualidade, bem como o homossexualismo e escrever a respeito numa folha e entregar para mais tarde socializar no grande grupo e expor num mural.

Referências bibliográficas:
Brasil. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997.

23 maio 2007

TABAGISMO

Especialistas criticam ação contra o fumo:
Proibição em locais fechados aumenta número de fumantes passivos.

GISELE KAKUTA MONTEIRO */ São Francisco, EUA

Ações para evitar os malefícios do fumo são questionadas em encontro de médicos que ocorre em São Francisco (EUA). Em uma das pesquisas apresentadas, cientistas alertam para um efeito colateral da proibição de fumar em bares e restaurantes: o aumento do universo de fumantes passivos.

No Brasil, bares e restaurantes ainda destinam algumas mesas aos fumantes. Mas, em diversos países, fumar não é permitido em nenhuma área interna. A restrição se estende a escritórios que sequer reservam uma sala como "fumódromo".

Os fumantes saem para fumar em frente a estes estabelecimentos. O problema é que isto aumenta o número de fumantes passivos, destacou o pesquisador Luke Naeher, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade da Geórgia. Ele explicou que tem se criado zonas públicas, como praças e calçadas, bastante prejudiciais à saúde.

Naeher analisou o índice de poluição num bairro da Geórgia com mais de 100 bares e restaurantes, que em 2004 proibiram parcialmente o fumo e, em 2005, impuseram restrição total. Houve um aumento da poluição proveniente do tabaco, e conseqüentemente, dos efeitos dessa exposição aos não-fumantes.

O estudo será mais detalhado para a confirmação dos dados levantados, mas o pesquisador já convoca os responsáveis pelas políticas públicas a repensar a regulamentação.

Às mulheres que deixam de fumar durante a gravidez para proteger o filho e retomam após o parto, os cientistas esclarecem: ser fumante passivo fora da barriga da mãe pode resultar em mais problemas respiratórios para a criança.

Filhos de abstêmios têm pulmões mais saudáveis:

O pesquisador Bert Arets, PhD do Centro Médico Universitário de Utrecht (Holanda), apresentou na conferência American Thoracic Society's (ATS), em São Francisco, um estudo com 244 crianças de quatro a 12 anos. Ficou comprovado que o funcionamento dos pulmões dos filhos de fumantes é mais prejudicado do que o dos abstêmios.

O fumo afeta mais as crianças com pais fumantes após o parto se comparados àqueles que fumaram até a gravidez e interromperam com o nascimento do bebê, destacou a análise.

A conferência da ATS será encerrada hoje. A 103ª edição do evento reúne cerca de 15 mil profissionais para troca de informações sobre as novidades relacionadas a doenças pulmonares e seus tratamentos.

* A repórter viajou a convite do laboratório Actelion

gisele.kakuta@diario.com.br

Fonte: Jornal Diário Catarinense - 23 de maio de 2007.

BEBIDAS ALCOÓLICAS

Restrição às bebidas alcoólicas:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve assinar, hoje, o decreto que muda o conceito de bebida alcoólica, com os objetivos de fortalecer a proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que proíbe a veiculação de propaganda de bebidas, das 8h às 20h, e conter o uso indevido de álcool no país.

Pelo decreto, passam a ser consideradas alcoólicas as bebidas com concentração de álcool a partir de 0,5% (ou 0,5 grau Gay Lussac). Entram nesta categoria cervejas, ices e cooler. Atualmente, a legislação que regulamenta a publicidade, em vigor há quase 10 anos, utiliza o critério de 13 graus Gay Lussac englobando, por exemplo, vinhos, cachaças e uísques.

As novas regras, que entram em vigor após a publicação no Diário Oficial da União, afetarão, principalmente, a indústria de cervejas, que fatura cerca de R$ 20 bilhões por ano e gastou, em 2006, mais de R$ 700 milhões em propaganda.

Além da limitação na TV e no rádio, a publicidade nos demais meios de comunicação sofrerá mudanças. Em jornais, revistas e na Internet, os anúncios deverão ser acompanhados por alertas do Ministério da Saúde que associam o consumo de álcool a acidentes de trânsito, má formação de bebês, abusos sexuais e outras formas de violência.

Veículos de comunicação serão os grandes prejudicados:

Entidades ligadas à propaganda e mídia, lideradas pelo Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar), cogitam recorrer à Justiça contra as restrições.

Através de nota oficial, elas questionam a competência da Anvisa para legislar sobre o assunto, reiterando que a "Constituição Federal determina, expressamente, que compete privativamente à União legislar sobre propaganda comercial".

No Estado, Saulo Silva, presidente do Sindicato das Agências de Propaganda de SC (Sapesc) afirmou que ações como esta criam precedentes perigosos para a regulamentação de outras áreas no Brasil.

Silva frisou, também, que o prejuízo para o setor publicitário será enorme. No mercado catarinense, alertou, os maiores danos serão sentidos pelos veículos de comunicação, que deixarão de veicular comerciais de bebidas durante o dia.

- Não acredito que determinações como esta surtam efeito. Investir em educação é muito mais eficaz do que agir através de sanções - disse.

Saiba mais:

O decreto instituirá a Política Nacional sobre o Álcool, que tem como meta reduzir o "consumo indevido de álcool no país"
Entre os pilares da política estão os novos limites à propaganda e as propostas de proibição de venda de bebidas nas estradas federais e postos de gasolina. As duas últimas medidas dependem de uma nova rodada de negociações do grupo de trabalho interministerial, criado em 2003
Na exposição de motivos que acompanha o decreto, o governo cita as seguintes estatísticas:
> Os gastos do SUS com o tratamento de alcoólatras ultrapassou R$ 40 milhões em menos de quatro anos
> 12,3% das pessoas entre 12 e 65 anos eram dependentes de álcool, em 2005, diz a Secretaria Nacional Antidrogas
> 61% dos motoristas ingeriram bebida alcoólica antes de acidentes, segundo pesquisa da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, de 2006

22 maio 2007

RELATÓRIO: EEB TUFI DIPPE


E.E.B. DR. TUFI DIPPE
Rua: Antônio da Silva,4935 Iririú – Fone: 34371277

Assistente Técnica Pedagógica : Daisy da Costa Bicalho

RELATÓRIO NEPRE:

Combate a Violência Sexual Infantil

No dia 17/05/2007 os alunos do ensino fundamental do turno vespertino assistiram uma palestra ministrada pela Coordenadora do Programa Sentinela, que atende crianças e adolescentes vítimas de violências, Maristela Kermes e Assistente Social do Programa Sentinela Fabiane Sonder.
A palestra foi para esclarecer o que pode ser considerado como violência. Quem geralmente são os agressores. Como costumam agir. O que fazer quando estiver acontecendo comigo ou com alguém conhecido.

18 maio 2007

RELATÓRIO: EEF MARIA AMIN GHANEM


18 DE MAIO – DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA O ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL CRIANÇAS E ADOLESCENTES


Para o ano de 2007 o tema escolhido que será a base das ações governamentais é COMBATER A IMPUNIDADE É GARANTIR A PROTEÇÃO. Esse tema propõe um grande desafio que é tornar mais eficaz a ação punitiva àqueles que cometem atos de violência, abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes.
A Unidade Escolar de Ensino Fundamental Professora Maria Amin Ghanem realizou durante a semana uma atividade cujos objetivos são a longo prazo que se caracteriza por formar agentes multiplicadores e principalmente observadores, dando-lhes informação a respeito do tema e de como identificar suspeitas para que possam colaborar junto a direção, professores e família no auxílio aos que tiverem sofrido quaisquer tipos de violência, aqui em específico a sexual.


Os alunos selecionados são os líderes de turmas, de 5ª à 8ª séries, num total de 24 presentes, que durante a manhã do dia 16 de maio participaram de uma palestra sobre a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes que ocorre no Brasil todos os dias durante o ano. Uma das motivações que levou os alunos a participarem é a indignação ao ouvir falar de crimes bárbaros contra crianças e adolescentes nos noticiários.
A palestra assistida pelos alunos foi ministrada pela Assistente Técnica Pedagógica Vânia Meneghini, que abordou os seguintes temas: Conceito de Violência, Tema da campanha de 2007, Tipos de Violência, Comportamento suspeito, História do dia 18 de maio, As Características da Comissão de Observação e Disque Denúncia.
Durante o período vespertino do dia 16 de maio, os líderes da Comissão Observação, assim nomeados, que estudam no turno matutino, vieram até a escola a tarde para confeccionar cartazes e coloca-los com o número do disque denúncia em todas as salas da escola. Figura abaixo.


Após colocarem os cartazes nas salas, também foi confeccionada uma faixa para estar exposta durante todo o dia 18 de Maio na entrada da escola, com os seguintes dizeres: DIA 18 DE MAIO: DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA SEXUAL ÀS CRIANÇAS E ADOLESCENTES.


Essa atividade simboliza o respeito e a crença que temos no potencial de nossos alunos, pois para estarem integrados como Comissão Observadora precisam ser exemplo de Ética, Amizade e Confiança.

17 maio 2007

RELATÓRIO: EEB RUDOLFO MEYER

ESTADO DE SANTA CATARINA
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
GERENCIA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA - JOINVILLE
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PROF. RUDOLFO MEYER.
Rua: Copacabana, 1245 Floresta – Fone/FAX: (47) 436-0769
E-mail: eebprm@sed.gov.sc.br

Joinville, 17 de maio de 2007.


RELATÓRIO DO NEPRE:


No decorrer do ano de 2007, a prevenção à violência foi trabalhada pelo Programa PROERD nas 4ª e 6ª séries. Na disciplina de Língua Portuguesa os alunos das 7ª séries elaboraram cartazes e textos sobre Drogas e o perigo das doenças sexualmente transmissíveis.
Um dos trabalhos da Orientação Educacional em nossa escola é esclarecer aos adolescentes com dúvidas sobre comportamento sexual.
Recebemos também um caso de aluna solicitando vaga, cuja queixa era assédio sexual (pessoa família). O caso foi encaminhado para Secretaria Municipal de Saúde e já freqüenta o Programa Sentinela. A escola acolheu e orientou a adolescente, bem como seus responsáveis para os procedimentos necessários.
O Programa O Caráter Conta vem trabalhando também os valores e a ética, que auxiliam e interligam as ações direcionadas a estas questões. Está sendo organizado pelo Nepre um cronograma de palestras em nossa Unidade Escolar para ser desenvolvido durante todo o ano de 2007.

15 maio 2007

CONCURSO INTERNACIONAL PREMIARÁ ESCOLAS PROMOTORAS DA SAÚDE


Atenção Professores(as) !

Repassando notícia abaixo para conhecimento e quem sabe, aproveitamento..... Vamos participar?
Abraços,
Rosi.

Concurso internacional vai premiar escolas promotoras da saúde:

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS), através da Unidad de Determinantes de Saúde e Políticas Sociais, e o Gobierno da Comunidade Autônoma do País Basco, estão realizando o Primeiro Concurso Ibero-americano de Promoção da Saúde no Âmbito Escolar. Poderão participar todas as escolas e centros educativos ibero-americanos, públicos ou privados, de educação fundamental, pré-escolar e do ensino médio, que tenham desenvolvido experiências de promoção da saúde no âmbito escolar, ou de implementação de estratégias em Escolas Promotoras da Saúde.

As inscrições para o prêmio podem ser feitas até o dia 31 de maio. Nos documentos, em anexo, encontram-se todas as informações sobre os critérios de seleção: o processo de inscrição das experiências, a seleção e a premiação, entre outras informações.

Anexos:

Concepto Buenas Prácticas.(2) pdf.pdf
http://www.ensp.fiocruz.br/informe/anexos/Concepto%20Buenas%20Prácticas.(2)%20pdf.pdf
Concurso Iberoamericano.(2) pdf.pdf
http://www.ensp.fiocruz.br/informe/anexos/Concurso%20%20Iberoamericano.(2)%20pdf.pdf

11 maio 2007

GOVERNO PREPARA DECRETO CONTRA BEBIDAS ALCOÓLICAS

Após mais de três anos, o governo federal finalmente definiu a Política Nacional sobre o Álcool, um conjunto de medidas para prevenir o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e ampliar o acesso a tratamento para pessoas dependentes. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve assinar o decreto que institui as medidas na próxima semana.
O texto do decreto, sob análise na Casa Civil, não traz definições sobre o tema mais polêmico de toda a estratégia, a restrição de horário para propaganda de todas as bebidas alcoólicas. O decreto prevê que a regulamentação da propaganda deverá ser feita por uma resolução - cujo texto já está pronto para publicação.
O lançamento da Política Nacional sobre o Álcool é esperado desde 2003, época em que um grupo interministerial criado pelo governo apresentou o esboço da estratégia. Nesse documento, já se previa a restrição da propaganda de bebidas alcoólicas para depois das 23 horas. A medida, considerada indispensável por especialistas na área de saúde, atingiria em cheio a indústria de cerveja, que hoje não tem restrição para veiculação de propaganda. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Pesquisa personalizada