Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

21 dezembro 2006

RELATÓRIO: EEB NEREU RAMOS

EEB NEREU RAMOS

Itapoá, 12 de dezembro de 2006.

Relatório das últimas ações desenvolvidas
No PrOjeto NEPRE – 2º semestre.

Dando continuidade às atividades relacionadas ao Projeto NEPRE, os 2º anos do Ensino Médio, sob coordenação da Orientadora Educacional Maricélia Franz Perrony e da Professora de História Cindia Rossana, apresentaram para as 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e 1º anos do Ensino Médio, o trabalho de pesquisa realizado a partir dos seguintes temas: Sexualidade – Aborto – DST, gravidez na adolescência. O trabalho desenvolvido com estas turmas teve por objetivo esclarecer as dúvidas dos próprios alunos partindo da real necessidade de cada um.
Durante o processo de pesquisa, os alunos do 2º ano do Ensino Médio, foram coletando perguntas elaboradas pelos alunos das turmas que iriam participar da atividade. Através destas perguntas que toda a atividade foi elaborada. A atividade foi realizada no auditório da escola com a participação de outros professores. O material didático utilizado foi uma gentileza da Secretaria Municipal de Saúde. A equipe contou com a orientação de profissionais da área.
No 2º semestre, o 3º ano do Ensino Médio, sob coordenação das Professoras Sonia, Jane e Luci, reapresentaram o teatro para outras turmas do Ensino Fundamental e Médio, contou-se com a presença dos pais.
As 8ª séries do Ensino Fundamental, juntamente com os professores de Ciências, responsabilizaram-se durante o ano todo, pelos painéis permanentes na escola com o tema “Tenha uma vida saudável, viva sem drogas”. O trabalho enfatizou o álcool e o fumo.
Sob a orientação e coordenação da enfermeira Priscila do Posto de Saúde da Família, foi realizada uma atividade lúdica (gincana entre as turmas das 7ª séries) com o tema: Educação Sexual.
Ainda tivemos a participação de um ex-aluno, agora instrutor de uma auto-escola em nosso município, realizando uma palestra sobre a violência no trânsito relacionada ao uso abusivo de bebida alcoólica. Foi uma atividade envolvente onde os alunos puderam participar comentando os riscos do uso da bebida alcoólica em todas as situações possíveis onde pode estar prejudicando a vida das pessoas, tanto no trânsito, quanto dentro de casa ou na escola. Os recursos didáticos utilizados para esta palestra (incluindo Data Show) foram atrativos e bem apropriados.
Os assuntos mais trabalhados durante o ano todo, estiveram voltados para os temas relacionados à sexualidade e ao alcoolismo, visando maiores esclarecimentos entre os jovens e mais consciência e responsabilidade pelo seu próprio corpo, pois a gravidez na adolescência, o aborto e o alcoolismo fazem parte da realidade dos jovens da nossa comunidade.

Maricélia Franz Perrony
Orientadora Educacional




RELATÓRIO: EEB CARMEM SEARA LEITE

AÇÕES DO NEPRE

PROJETO: EM DEFESA DA VIDA
Disciplina: Língua Portuguesa
Língua Inglesa
Educação Física
Professores: Nereu Lopes Pereira
Olívia Vollmer Eidt
Joseane Furlan
Série: 5ª a 8ª e En. Médio

Justificativa:
Acredita-se que a escola seja um espaço para desenvolver atividades de formação. Geralmente os jovens podem ser mais permissivos, preconceituosos ou compreensivos, de qualquer forma eles sabem lidar melhor com o tema do que os adultos. Falar de drogas é tocar na questão do prazer é falar de sentido da vida. Percebe-se que o jovem conectado com a mídia como uma força indutora faça opções saudáveis, principalmente se possuir metas definidas sobre o seu futuro, se possuir um projeto de vida. Daí, a valorização do aluno como pessoa integral e não somente a busca da informação pura e simples da ação da droga no organismo.

Objetivo Geral:
Este projeto pretende desenvolver atividades de prevenção às drogas para crianças e adolescentes em situações de maior exposição à risco, principalmente aquelas que freqüentam a escola.

Atividades desenvolvidas:
* Sensibilização da comunidade escolar sobre a necessidade de trabalhar a prevenção ao consumo de drogas;
* Palestra sobre o tema e suas conseqüências;
* Elaboração de textos de caráter crítico partindo de diferentes situações vivenciadas;
* Dramatizações.

Cronograma:
Agosto, setembro e outubro.

Culminância:
12 de outubro de 2006.

PROJETO:
FUMO E ÁLCOOL:
um poderoso interesse econômico internacional e nacional

Professora: Elfriede Hermiene z. Teixeira
Disciplina: Língua Inglesa
Série: 1º a 3º Em. Médio

Objetivo geral:
Levar o aluno à conscientização de que as drogas ( produtos ilegais como - maconha, crack e cocaína, medicamentos como anfetaminas, a nicotina , o álcool e a cafeína) têm atração por atuar no cérebro, modificando a sensibilidade, o modo de pensar e de agir. Além disso, mostrar ao aluno à sua distinção do ponto de vista orgânico, dos efeitos e da dependência que podem provocar, da aceitação legal e cultural que desfrutam, implicando distintas situações de risco.

Objetivos Específicos:
* Mostrar a oferta e a facilidade com a propaganda ostensiva divulga as drogas;
* Mostrar que mesmo com o risco a saúde, não resultou na proibição da propaganda de cigarros e bebidas em função de poderosos interesses econômicos envolvidos;
* Refletir e dialogar sobre o assunto Fumo e Álcool através das propagandas e vídeo clipes expostos na Língua Inglesa;
* Apresentação dos trabalhos das propagandas em Inglês, (em grupo).
* Artigo escrito sobre a propaganda na Língua Inglesa, utilizando os conteúdos trabalhados em sala de aula, (propagandas).

Avaliação: a aplicação do projeto aconteceu como o esperado, os alunos se empenharam na procura das propagandas de cigarros e bebidas alcoólicas na Língua Inglesa, bem como as apresentações das mesmas para o grande grupo, estimulando assim o conhecimento da língua. O empenho de cada um foi primordial para o andamento do projeto e as descobertas que observava-mos a cada apresentação. Os alunos das turmas do ensino médio comentavam as deformações visuais que as drogas chamadas lícitas causam nas pessoas, tanto no visual ( aparência) como internamente (pulmão, garganta, estômago, boca, etc.). Também foi muito interessante os relatos pessoais que os alunos traziam e compartilhavam com os demais. Esperamos que tudo o que foi visto por eles tenha resultados positivos para cada um, tanto no âmbito social como no escolar.


Obs: todos estes projetos tiveram sua culminância na FEIRA CULTURAL que aconteceu dia 13/10/2006.

19 dezembro 2006

RELATÓRIO: EEB RUDOLFO MEYER

E.E.B. PROF. RUDOLFO MEYER

COORDENADORA DO PROGRAMA: NIRMA ELIAS MACHADO

RELATÓRIO NEPRE

TEMA: TABAGISMO


No dia 11/08/06 às 08:00 horas recebemos em nossa Unidade Escolar o Dr. Carlos Roberto Campos médico Cardiologista, que apresentou palestra pelo Programa Prosa Unimed, com o tema Tabagismo.
Os adolescentes acharam a palestra muito interessante, principalmente pelo conteúdo utilizado na mesma. Segundo os relatórios que eles fizeram, mais que nunca todos tem certeza do mal que o cigarro causa e se propuseram a levar todas as informações recebidas pelo palestrante doutor Campos, para toda comunidade. Esta palestra os incentivou a não cometer os mesmos erros que seus pais, vizinhos e amigos cometem.
Aprenderam que existem 1 bilhão e 800 milhões de fumantes no mundo e cerca de 2 milhões no Brasil. A maioria dos fumantes tem cerca de 10 a 19 anos.
Segundo o palestrante a pessoa que fuma tem mau hálito, perda dos dentes e os mesmos ficam amarelados, também seus pulmões são prejudicados, pois, ficam pretos e podres.
Como o cigarro à pessoa perde dinheiro, confiança, amor próprio, segurança e principalmente saúde. Perde também sua vida, pois, alguém que começou a fumar com 10 anos só vai parar aos 40 se tiver muita coragem e audácia além de uma vontade muito grande.
Os jovens e até mesmo os adultos são influenciados pro programas nos mais diferentes meios de comunicação, nos quais há incentivos ao tabagismo, por até mesmo personalidades de prestígio, assim aderem ao tabaco por puro exibicionismo.
Apesar de diversos apelos, o mercado brasileiro movimenta “milhões” com a venda de cigarros no país e o incentivo ao tabagismo, o que deveria ser proibido pelo governo.
E esse vício pode acabar com a sua vida, pois, experimentando o cigarro pela primeira vez fica preso a este consumo.
Outra coisa muito importante que ouvimos na palestra foi que as crianças são vítimas comuns porque uma criança que convive com um adulto fumante sofre tanto quanto ele. Além de que a fumaça do cigarro prejudica mais do que ele próprio.
Mas, existe uma chance!
Primeiro cabe a você ser valente e enfrentar a realidade, fazer exercícios, ter uma boa alimentação e procurar um médico, logo após você ter decidido parar de fumar, pois, ele irá te ajudar com remédios e assistência psicológica.
Ou então, ser vítima de perda de memória, impotência sexual, câncer no pulmão, na boca, na garganta, bronquite, perda das pernas ou sérios problemas de coração.
Fique ligado, pois, o cigarro é considerado um dos maiores problemas do mundo.

Digitação, elaboração e coordenação técnica.
Ass. Técnico Pedagógico: Nirma Elias Machado
Matrícula: 342057-4

RELATÓRIO: EEB OSVALDO ARANHA

E.E.B. OSVALDO ARANHA

PROJETO NEPRE

Partindo da pesquisa referente as mortes dos jovens no trânsito, as turmas do 2º ano do E.M., também na aula de Filosofia do Professor José de Oliveira desenvolveram reflexões sobre o “Trânsito”- respeito. A metodologia aplicada pelo professor foi através da auto-análise, observando atitudes que engrandecem e desvalorizam o ser humano.
Os depoimentos dados pelos alunos deixaram o professor satisfeito pela importância que dão a vida e pela opinião formada dos jovens.

Os alunos da 3ª série do E.F. durante o mês de abril, com a Professora Eli Ramone, trabalharam explorando através de relatos dos alunos e da observação de noticiários as causas que provocam acidentes, fazendo a conscientização quanto ao respeito as normas de Trânsito e a vida do próximo.
Baseado nas informações os alunos construíram maquetes que foram expostas no Hall da Escola

Os alunos dos 3ºs anos do Ensino Médio, participaram no mês de agosto do Programa: Prevenção ao Trauma, do Hospital Municipal São José, desenvolvido por médicos, terapeutas e enfermeiros voluntários.
Num projeto inédito de Educação Realística de Prevenção ao Trauma foi enfocada a importância de se dirigir com prudência, respeitando as Normas de Trânsito e também as conseqüências do uso de drogas.
Os alunos receberam informações e orientações quanto ao projeto e postura ética para a visitação aos pacientes acidentados nos quartos e UTI.
O trabalho baseado no depoimento dos pacientes, fechou com um teatro desenvolvido pelos alunos que tiveram que demonstrar as dificuldades físicas e emocionais do dia a dia de um acidentado.

Foi criado pela coordenação um Mural específico para o NEPRE, o qual foi renovado com frequência, pela coordenação, integrantes do SUPERAÇÃO JOVEM e alunos.

18 dezembro 2006

PALESTRA: EEB PRESIDENTE MÉDICE


ESTADO DE SANTA CATARINA
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
23ª SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL
GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESIDENTE MÉDICI
Rua Helmuth Falgatter, 1449 – Boa Vista – CEP: 89205-300 -Fone/fax 47 3432-9700
JOINVILLE – SC

A/C Jorge – Responsável pelo NEPRE



Relatório sobre a Palestra realizada no dia 25 de outubro,
sobre o tema “TABAGISMO”


A palestra foi realizado em dois períodos, matutino e vespertino para alunos de 5ª, 6ªe 8ª séries do Ensino Fundamental e 1º Ano do Ensino Médio.
Matutino: 8 Horas para 8º 1,1º1, 1º 2, com a Doutora Maria Júlia- Pneumatologista.
Vespertino: 14 Horas para 6º 1,2,3 e 5º 2, com Andréia- Secretaria da Saúde, Responsável pelo Setor Tabagismo.


O tema abordava o tabagismo, e que para os alunos que presenciaram a palestra foi de estrema importância pelo fato de que é um assunto que merece ser tratado com muita atenção.

As palestrantes destacaram dados muito importantes sobre o Tabagismo, na qual enfocaremos alguns ao longo deste relatório.

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde(OMS) a principal causa de morte evitável em todo mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas ( entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumadores.

Outros dados abordados pela palestrante foi de que 47% de toda população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Enquanto que nos países em desenvolvimento os fumantes constituem 48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a participação das mulheres mais que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o hábito de fumar.

O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia.

Outro item que chamou a atenção dos alunos foi de que, mesmo que uma pessoa fume somente um cigarro, ela pode apresentar graves conseqüências para a saúde do seu coração.

Fumar prejudica a ventilação pulmonar, o transporte de oxigênio no sangue, o rendimento físico é incompatível com o desporto de alta competição.

A doutora ainda citou algumas doenças que são causadas pelo cigarro, dentre elas temos o cancro do pulmão, cardiopatia isquêmica, e doenças respiratórias.

O Fumo é responsável por 30% das mortes por cancro e 90% das mortes por cancro no pulmão.

Durante a gravidez o tabagismo pode atrasar a concepção, e durante a gravidez pode infectar de modo negativo. Os recém-nascidos das mães fumadoras pesam menos que os das não fumadoras. O tabagismo materno durante a gravidez pode infectar a médio prazo o desenvolvimento físico e intelectual da criança.

A doutora explicou ainda que a nicotina é uma droga psicoativa e é responsável pela dependência do fumador. Atua ao nível do sistema nervoso central, diminui a chegada do sangue aos tecidos e causa dependência química.

O tabaco é uma droga porque provoca dependência. O vício de fumar tem-se revelado impossível de combater porque se trata de uma substância com características estimulantes, semelhantes a ás da cocaína, dando dependência física e psíquica.

Finalizando a palestra a doutora mencionou aos alunos, o quanto se gasta em 20 anos para aqueles que fumam diariamente uma carteira de cigarro, e o valor colocado por ela chamou muito a atenção dos alunos.

Portanto a pergunta que a palestrante havia feito no início da palestra, a qual se referia o que significa ter saúde foi compreendido desta forma pelos alunos: é um estado de bem estar e não apenas a ausência de doença ou incapacidade.

Para os alunos a palestra foi bem aproveitosa, até pelo fato de que muitas dúvidas sobre o cigarro foram esclarecidas, e com certeza servirá para conscientizar pais, amigos, enfim as pessoas que convivem com eles no dia a dia de que o cigarro pode trazer grandes malefícios à vida.


Paulo Eduardo de Souza
Profº de Ciências

Adelina Dognini
Diretora


FOTOS DO EVENTO







13 dezembro 2006

RELATÓRIO: EEB PLÁCIDO OLÍMPIO DE OLIVEIRA

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DOS PROGRAMAS:
“NEPRE” E “ O CARÁTER CONTA”


NEPRE – Na escola os cartazes de conscientização são expostos no mural mais importante e com grande destaque. Nas aulas de Filosofia – Ensino Médio e Ensino Religioso – Ensino Fundamental, são desenvolvidas atividades relacionadas ao tema. Entre elas, redações, poesias, cartazes e charges que foram expostos na Mostra Cultural realizado no espaço escolar.

O CARÁTER CONTA – A Escola desenvolve o Projeto Cidadania que é o projeto mor da escola e dentro dele neste 2º semestre a escola participou: (Prêmio Embraco – Revitalização, Água na Escola e Idosos) com inscrições a nível de estado e nacional, entre outros. Por este motivo “O caráter conta” está sendo trabalhado dentro destes projetos, cada pilar com sua importância.

Prêmio Embraco – Junto com a Horta Escolar, busca também a revitalização da escola, bem como uma merenda saudável, propiciando assim uma melhor qualidade de vida dos alunos e comunidade envolvida. Visando a melhoria visual da escola, os alunos estão grafitando o muro com palavras como: paz, esperança e outras, incentivando assim o ZELO pelo patrimônio escolar.


Água na Escola – Busca conscientizar o aluno quanto a importância e a consciência para a preservação, para este bem que está nos é imprescindível para a sobrevivência. Para isto foi criado um slogan, um mascote, feito gincana e também a participação na Mostra Cultural. Também a questão do meio ambiente e do lixo que contamina, solo, ar e água são trabalhados.

Idosos – Onde busca a valorização do idoso perante a sociedade e principalmente frente aos jovens (alunos) que não percebem a importância da memória e conhecimento já adquiridos pelas pessoas de maior vivência.
Como atividade, foi desenvolvida uma pesquisa com os idosos do bairro e do asilo Vila Vicentina, buscando a valorização do conhecimento. A terceira idade do bairro foi convidada para uma homenagem no espaço escolar, onde foram homenageados com músicas e poesias. E para finalizar a atividade do dia foi oferecido um café. Na seqüência os alunos fizeram uma arrecadação de alimentos e produtos de higiene pessoal que foi doado para os moradores do asilo.

O Caráter Conta foi, portanto, trabalhado juntamente com estes projetos, pois cada um tem sua especificidade, e os pilares se encaixam com os trabalhos desenvolvidos.

ATP – Ilze 3435-3885
EEB Plácido Olímpio de Oliveira

11 dezembro 2006

EFEITOS DO TABAGISMO NAS MULHERES




CÂNCER NAS MULHERES

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru/SP
Data: 11/12/06




Doença avança 3 vezes mais rápido entre o sexo feminino, resultado de um processo em que 90% dos casos o vilão é o cigarro.

O câncer de pulmão é um dos que mais crescem em São Paulo, sendo o terceiro em incidência em ambos os sexos. Atualmente, acomete três vezes mais mulheres do que homens. Houve uma evolução de 42% entre o sexo feminino e de 13% entre o sexo masculino, segundo dados registrados pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), que comparou números registrados em 2000 e em 2005.

Segundo o responsável técnico pela unidade de quimioterapia do Hospital Manoel de Abreu, Paulo Eduardo de Souza, Bauru segue a tendência estadual. “No decorrer dos anos, os médicos têm notado aumento acentuado no número de tumores de pulmão. Comparando-se esse aumento com outros tipos de tumores, ele chega a ser um campeão em disseminação”, revela o oncologista.

O mesmo fato também pode ser constatado em Jaú, onde está situado o Hospital Amaral Carvalho, que atende pacientes de todo o Estado. De acordo com o registro de base populacional do Inca, que relativiza o total de habitantes e o número de novos casos na cidade, o crescimento do câncer de pulmão entre as mulheres da cidade foi 22% maior em relação aos homens. Como conseqüência, a mortalidade entre o sexo feminino por tumores de pulmão também teve um salto de 2000 para 2005. Em Jaú, o número de mulheres mortas em decorrência da doença foi 57% maior em relação aos homens, durante o período determinado na pesquisa do Inca. A história pode explicar o motivo da alta na incidência de mulheres com tumores de pulmão. “O cigarro é o primeiro fator cancerígeno. A partir da década de 1970, começou uma revolução que equiparou mulheres e homens, tanto comportamental quanto socialmente. A indústria tabagista passou a investir na mulher como consumidor em potencial, e as conseqüências aparecem hoje”, afirma o diretor de ensino e pesquisa do Hospital Amaral Carvalho, José Getúlio Martins Segalla.

A tendência é que a incidência de câncer de pulmão nas mulheres continue aumentando ano a ano. “O cigarro produz o tumor somente depois de 20 ou 30 anos. Nós estamos em 2006, e desde 1970, o consumo de tabaco entre as mulheres cresceu muito, enquanto o do homem já estava estabilizado. Por isso, durante alguns anos ainda, a doença continuará crescendo entre o sexo feminino, até que o número se iguale ao dos homens”, explica. Os médicos são enfáticos em apontar o tabagismo como fator primordial para o desenvolvimento da doença. Tanto para o oncologista do Manoel de Abreu quanto para o diretor de ensino e pesquisa do Amaral Carvalho, 90% dos casos diagnosticados são motivados exclusivamente pelo hábito de fumar.

Jovem preocupa

Para o oncologista do Hospital Manoel de Abreu, Paulo Eduardo de Souza, a população de fumantes não pára de diminuir, e o que é pior, o vício se inicia cada vez mais cedo. “Existe, com certeza, uma crise do sistema educacional e, a reboque, da família também. O jovem tem dificuldade em discernir valores para estabelecer critérios, ficando mais suscetível aos vícios”, afirma o médico. Ele acredita que uma grande parcela de culpa é da conjuntura nacional. “Quando um país não oferece um futuro para as pessoas a partir do seu próprio esforço, hoje regra para o mundo ocidental desenvolvido, existe uma deturpação de ideais, e quem mais sofre com isso é aquele que está passando por um período de descobertas e crise, que é o adolescente”, completa.

Fumante passivo

Segundo Souza, há dados evidentes de que o fumante passivo também é muito prejudicado. “Crianças que têm pais tabagistas, acusam presença de derivados de tabaco na urina. Sabidamente, filhos de fumantes desenvolvem mais bronquite e infecções das vias superiores. Logicamente, esse hábito dos pais influencia negativamente o futuro da criança”, revela. Existem pessoas que são propensas a desenvolver o câncer. “É uma doença da divisão celular, definida pela integridade do código genético de cada pessoa (DNA). Existem pessoas que têm deficiência em reparar esse DNA do pulmão. Com isso, o cigarro afeta de forma mais contundente as células da mucosa brônquia”, explica. O cigarro provoca também câncer de boca, da garganta, do esôfago e até da bexiga. Ainda não existe remédio para tratar esse mal. Mas quando o diagnóstico é feito precocemente, existe grande possibilidade de cura.

01 dezembro 2006

DIA MUNDIAL DE LUTA CONTRA A AIDS


Arte e ações para reduzir transmissão vertical do HIV marcam o Dia Mundial de Luta contra a Aids no Brasil

O Ministério da Saúde marca o Dia Mundial de Luta contra a Aids com quatro ações. A primeira delas é a reafirmação do compromisso do governo federal com as pessoas que vivem com o HIV no Brasil. A segunda ação é o lançamento de metas para reduzir a transmissão vertical do HIV, quando o vírus é passado da mãe para o bebê, durante a gestação, o parto ou a amamentação; e eliminar a sífilis congênita. O Ministério também apresentará o “Caderno das Coisas Importantes”, publicação voltada para alunos de escolas públicas de todo o país, e a instalação artística “Contatos”, da artista Bia Lessa, montada na Esplanada dos Ministérios.
Com essas ações, o Ministério reforça o comprometimento com a promoção da qualidade de vida das pessoas que têm o HIV; com a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e da aids; e com o fornecimento dos medicamentos anti-retrovirais, usados no tratamento da doença, e dos testes de diagnóstico e monitoramento da aids. Estes são alguns dos pontos que compõem o conceito de prevenção posithiva, cujo campo de ação é focado nas necessidades das pessoas infectadas pelo vírus ou que têm aids.
Neste 1º de dezembro, também será lançado o Protocolo para a Prevenção de Transmissão Vertical de HIV e Sífilis – um conjunto de procedimentos e orientações para tratar e acompanhar a gestante, no diagnóstico e no tratamento adequados para o HIV e a sífilis. Trata-se de uma mobilização para reduzir a transmissão vertical da aids e erradicar a sífilis congênita no país. A meta é eliminar a sífilis congênita em todo o território nacional até 2007 e reduzir a transmissão vertical do HIV a níveis abaixo de 1%.
De 1980 a junho de 2006, foram registrados 13.171 casos de aids por transmissão vertical no Brasil. Hoje, de acordo com estimativas do Ministério da Saúde, o índice de infecção do HIV em parturientes é de 0,41%. Isso representa, aproximadamente, 12,5 mil crianças expostas ao vírus por ano. Se as medidas corretas não forem tomadas, a criança tem 25% de chance de ser infectada pelo vírus da aids. Caso as medidas sejam adotadas, a chance fica entre 1% e 2%.
Por esses cálculos, se nenhuma medida fosse tomada, o Brasil deveria registrar pouco mais de 3.100 casos de transmissão vertical do HIV por ano. Com as intervenções adequadas, o número deveria ser de 125 casos. De acordo com o Boletim Epidemiológico 2006, divulgado em 21 de novembro, houve redução de 51,5% nos casos de transmissão vertical do HIV, entre 1996 e 2005. Naquele ano, foram registrados 1.091 casos. No ano passado, 530. Em 2006, de janeiro a junho, foram notificados 109 casos nessa categoria.No caso da sífilis congênita, foram notificados, de 1998 a junho deste ano, 36 mil casos. Atualmente, a taxa de incidência da doença é de 1,6 caso a cada 100 mil gestantes. “O Protocolo faz parte do fortalecimento de parcerias e ajuste do processo para incrementar o diagnóstico precoce e propiciar as intervenções necessárias para a prevenção e melhoria da qualidade na atenção às mulheres e recém-nascidos”, diz a diretora do Programa Nacional de DST e Aids, Mariângela Simão.
Jovens – Além dessas ações, será lançado o “Caderno das Coisas Importantes”, voltado para os adolescentes. São 400 mil exemplares que serão encaminhados para a escolas públicas de todo o país, em 2007. A publicação reafirma o compromisso do governo federal com a promoção da saúde e a prevenção das DST e da aids nas escolas públicas.
O material tem linguagem visual arrojada, com informações sobre formas de transmissão e formas de prevenção das DST e da aids, além de informações sobre corpo e sexualidade. A publicação faz parte de um programa conduzido pelo Ministério da Educação, Ministério da Saúde, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). De acordo com dados do Censo Escolar do ano passado, 97,6 mil escolas trabalham o tema DST/Aids. Entre essas escolas, mais de 9 mil disponibilizam preservativos aos alunos.
Contato – A instalação “Contato”, da cenógrafa Bia Lessa, ocupará 24 mil metros quadrados do gramado central da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. A obra é composta por 12.090 estacas de madeira pintadas de branco com fitas soltas com o nome e a idade de 1.000 pessoas. São pessoas que vivem ou não com o HIV e que compartilham o trabalho de prevenção e enfrentamento da epidemia de aids. Bia Lessa quer chamar atenção para que haja uma transformação na sociedade. "É preciso acabar com o preconceito que afeta as relações afetivas e sociais dos portadores do HIV”, diz a artista.
A obra também traz a inscrição “Eu me escondia para morrer, hoje me mostro para viver”, pintada no gramado. A frase é de autoria da RNP+ (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/Aids). O mesmo texto será projetado com raio laser nas duas torres do Congresso Nacional, no início da noite do dia 1º de dezembro. Fazem parte ainda da instalação quatro laços vermelhos gigantes feitos com balões de gás. Cada laço mede 10 metros. Na inauguração da obra, 700 voluntários da sociedade civil formarão um laço vermelho, que é o símbolo mundial de luta contra a aids.
A instalação é uma promoção do Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de DST e Aids, em conjunto com o UNICEF e conta com apoio do Ministério da Defesa, Ministério da Educação, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Governo do Distrito Federal, das secretarias de Saúde e Turismo do DF, do Corpo de Bombeiros do DF, da Coordenação Estadual de Aids do DF, do Departamento de Trânsito do DF e do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crimes (UNODC).
O ato simbólico de lançamento será realizado às 9h30, com a presença dos Ministros da Saúde, Agenor Álvares; da Educação, Fernando Haddad; da Secretária Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire; do Secretário Especial dos direitos Humanos da Presidência da República, Paulo de Tarso Vannuchi; da diretora do Programa Nacional de DST e Aids, Mariângela Simão; da representante da Unicef no Brasil, Marrie-Pierre Poirier e de Cazu Barroz e Beatriz Pacheco, participantes da campanha publicitária do dia 1 de dezembro. 1º de dezembro – O Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi instituído em 1988, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), como uma data simbólica de conscientização para todos os povos sobre a pandemia de aids. As atividades desenvolvidas nesse dia visam a divulgar mensagens de esperança, solidariedade, prevenção e incentivar novos compromissos com a luta. No Brasil, a data passou a ser adotada a partir de 1988, por uma portaria assinada pelo Ministério da Saúde. O projeto do laço como símbolo de solidariedade foi criado, em 1991, pela Visual Aids, grupo de profissionais de arte, de New York.
Mais informações:
Programa Nacional de DST e Aids - Assessoria de ImprensaTelefones: (61) 3448-100/8088Fax: (61) 3448-8090E-mail: imprensa@aids.gov.br
Pesquisa personalizada