Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

23 março 2007

ÁLCOOL E TABACO



Saúde:
Estudo condena álcool e tabaco.
Publicação britânica defende o controle das substâncias lícitas.



Álcool e tabaco são mais prejudiciais à saúde do que drogas ilegais como maconha e ecstasy, segundo um estudo publicado na revista científica britânica The Lancet, do Reino Unido.

Na edição deste mês, o professor David Nutt, da Universidade de Bristol, e colegas propuseram uma nova classificação para substâncias nocivas, com base nos riscos que apresentam à sociedade. Na lista, o álcool e o tabaco estão entre as 10 mais perigosas.

Os estudiosos usaram três fatores para determinar o mal associado a qualquer droga: o mal físico para o usuário, o potencial de causar dependência e o impacto na sociedade do uso da droga. Os pesquisadores perguntaram a dois grupos de especialistas, psiquiatras trabalhando com viciados e autoridades e policiais com conhecimento científico ou médico, a fim de criarem uma classificação para 20 drogas, como heroína, cocaína, ecstasy e LSD.

A classificação destoa da estabelecida pela Grã-Bretanha. Heroína e cocaína foram consideradas as mais perigosas, seguidas por barbitúricos e metadona. O álcool ficou em quinto, e o tabaco, em nono. A maconha, em décimo primeiro, e o ecstasy, entre os últimos.

Fumo provoca 40% dos casos hospitalares.


Segundo a atual legislação sobre drogas na Grã-Bretanha, álcool e tabaco são legais, enquanto maconha e ecstasy são ilegais. Um comitê parlamentar já havia questionado no ano passado a atual classificação das drogas na Grã-Bretanha e pedido mudanças.

O atual sistema é mal concebido e arbitrário. A exclusão do álcool e tabaco é, numa perspectiva científica, arbitrária.

O tabaco é responsável por cerca de 40% dos atendimentos hospitalares, enquanto o álcool é culpado por mais da metade dos atendimentos emergenciais. As substâncias também afetam a sociedade de outras formas, prejudicando as famílias e ocupando os serviços policiais.

Um comentário:

Rita disse...

Onde viu esse estudo? Gostava de fazer um trabalho sobre isso mas nao encontro a listagem...

Pesquisa personalizada