Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

23 abril 2014

Orientações do NEPRE da SED

Curtas! - 02

NEPRE na GERED/ NEPRE na escola. 

Por onde começar?

Conhecendo o entorno da região de abrangência da GERED (NEPRE regional); conhecendo o entorno da escola (NEPRE da Escola). É o que chamamos de mapeamento local. Mas, a tarefa não é simples, porque não basta conhecer. É preciso interagir, angariar apoio local, trocar experiências. Isso eleva o conceito da escola na região, ao mesmo tempo em que lhe concede voz ativa, tanto para solicitar mudanças como para pedir ajuda. O poder da escola reside na capacidade de mobilizar os grupos sociais, virtuais ou não, a seu favor; e isso é possível, em parte, através da participação/interação local.

O trabalho em rede eficaz consiste em ações articuladas, e em sincronia, entre instâncias diferentes com objetivos em comum. 
Isso não é algo fácil ou rápido. Começa por localizar e contatar as entidades que podem ser parceiras da escola. Especialmente, no que diz respeito à resolução de problemas de natureza interpessoal, ou de saúde pública.

As parcerias mais prováveis: Prefeituras; Hospitais; Centros de Atendimento; Empresas; Fundações; Órgãos governamentais; não governamentais; Conselhos Tutelares; Conselhos de Direitos; Ministério Público; Universidades; Iniciativas Comunitárias; e quaisquer instituições que atendam a pessoas cujas necessidades extrapolem as competências de resolução da escola. Especialmente, instituições que privilegiem ? dentro do seu escopo ? ações educacionais/culturais, ou de responsabilidade social.

As parcerias menos consideradas, mas igualmente eficazes: Empresas, bancos, lojas de departamentos, montadoras de carros, e até supermercados que atuam com leis de incentivo à Cultura (exemplo: Lei Rouanet), e também, que desenvolvem projetos ? seja de qualificação, seja de manutenção de patrimônio.

Esse mapeamento deve seguir um cronograma construído coletivamente, com uma abordagem cunhada e padronizada pela equipe escolar. De preferência (mas não obrigatoriamente), no final de cada ano letivo; e revisado no começo do ano seguinte. É interessante que a escola reúna sua comunidade (pais, alunos, professores, profissionais da educação e trabalhadores da escola), a fim de pensar e repensar projetos, necessidades da escola, parcerias, metas - privilegiando as ações protagonistas (em que os alunos possam desenvolver suas ideias na prática).

O perfil dos educandos na internet também precisa ser delineado. Quais redes sociais frequentam? Quais aplicativos utilizam? Quais games preferem? Esse perfil pode auxiliar a inserir a própria escola na rede. Estar nas redes sociais, hoje em dia, é de vital importância para o educador. Conhecer a cultura, as tribos, as relações estabelecidas, os conflitos criados, postos, ou resolvidos pelos alunos por intermédio da rede... Tudo isso contextualiza o aluno, sua atitude, e sua ?resposta de aprendizagem? às atividades propostas em sala de aula.

O perfil social dos alunos, na rede, pode auxiliar a escola a construir seu próprio perfil, e ao mesmo tempo, auxiliar no planejamento das aulas.
A escola deve explorar esse universo cheio de possibilidades que é a internet.

Alguns sites para se informar e pesquisar (concorde, discorde, ou apenas se aprimore com o auxílio dos autores):

Dúvidas sobre o tema, ou caso queria socializar experiências neste espaço ? exemplos, reflexões, etc, envie para:nepresedsc@gmail.com ou michelleaprende@sed.sc.gov.br
Uma ótima quart-feira!  
Michelle Domit 

Psicóloga e Consultora Educacional GEREJ/NEPRE/SED 

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada