Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

25 julho 2006

O CIGARRO NÃO COMPENSA

VERDADES SOBRE O TABAGISMO

Fonte: Folha de São Paulo
Data: 15/06/06

Idosos solteiros tendem a fumar mais do que os casados e do que os viúvos. A conclusão faz parte de uma pesquisa desenvolvida pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que acompanhou cerca de 7.000 pessoas, de ambos os sexos, com idade superior a 60 anos.
A psiquiatra Valeska de Melo Marinho, autora da investigação que virou tese de doutorado, afirma que a associação entre estado civil e tabagismo nessa faixa etária pode ser explicada por mecanismos sociais."O maior aporte social recebido pelos casados favorece o abandono do cigarro nesse grupo. Já entre os não casados, a maior tendência à solidão e ao isolamento aumenta a vulnerabilidade para a manutenção do hábito", diz a especialista. Os resultados apontaram que os idosos solteiros apresentavam 66% mais chances de serem tabagistas do que os casados e os viúvos.
Além disso, sempre de acordo com a pesquisa, a idade também está relacionada com a prevalência do hábito. Cada ano a mais de vida está associado a uma redução de 1% de chance de o indivíduo fumar regularmente.Para a pesquisadora, combater o tabagismo entre idosos representa um desafio. "Esse grupo faz parte de uma geração que desconhecia os efeitos negativos do fumo e que freqüentemente é negligenciada nos dados epidemiológicos", ressalta.


Receita cria selo contra sonegação de cigarro
Fonte: Folha de S.Paulo
Data: 19/06/06

Está tudo pronto para a Receita Federal instalar nas fábricas de tabaco os equipamentos para aplicação dos "selos eletrônicos" nos maços de cigarro. O dispositivo, desenvolvido pela Receita e a Casa da Moeda, permitirá o rastreamento de qualquer carteira de cigarro produzida no Brasil por meio de um código digital. O fisco da China está em negociações com o Brasil para importar o conceito. O secretário-adjunto da Receita, Paulo Ricardo de Souza, explica que o código não será visto a olho nu. "No selo de controle estará inserido o código, que será invisível ao olho humano", detalhou.

Com a utilização do "selo eletrônico", os fiscais da Receita poderão acompanhar a "vida" de um maço de cigarro. Esse rastreamento irá desde a sua produção até o destino final. Para isso, eles utilizarão um equipamento que lê o código digital impresso no selo. O atual selo colado nas carteiras de cigarro já é impresso pela Casa Moeda, mas ainda assim continua sujeito a falsificações. Usando o novo dispositivo, a Receita poderá localizar carregamentos destinados à exportação que tenham sido desviados. A tecnologia também valerá para monitorar cargas transportadas de um Estado para outro. "Além da evasão de tributos federais, no caso do cigarro há muita evasão de tributos estaduais", diz Souza.

Dois projetos-pilotos do selo de controle já foram realizados com êxito em duas grandes fábricas do país. De acordo com o coordenador-geral de fiscalização da Receita, Marcelo Fisch, equipamentos para colocação dos selos serão instalados pelo fisco em 150 linhas de produção de 19 fábricas de cigarro. "A sonegação desse setor é de aproximadamente R$ 1,5 bilhão por ano. O gasto com a nova tecnologia compensará e muito", afirmou. Fisch relata que, anualmente, os fabricantes de cigarros têm prejuízos estimados em R$ 4 bilhões por conta de autuações da Receita.

Cigarros e bebidas estão entre os setores com o maior nível de sonegação fiscal do país. No caso de bebidas, medidores de vazão já foram instalados nas fábricas de cerveja, o que levou a um aumento da arrecadação do segmento. Atualmente, a Receita trabalha para instalação desses equipamentos também em fábricas de refrigerantes e água.

NOTÍCIAS MUNDO
Chimpanzé supera tabagismo com girassol e cerveja
Fonte:
Estadão
Data: 23/06/2006

Em outubro, uma chimpanzé de 27 anos, chamada Ai Ai, conseguiu se livrar do tabaco, após 16 anos de dependência

PEQUIM - Os tratadores de um zoológico chinês estão ajudando um chimpanzé, que atuou em um circo, a superar sua dependência do tabaco através de cachimbos de girassol e cerveja, segundo informou hoje a agência oficial de notícias Xinhua. Xiku, o único chimpanzé criado no zôo de Urumqi, capital da Região Autônoma Uygur de Xinjiang, se tornou dependente ao tabaco há alguns anos, após observar e imitar os humanos quando ainda fazia parte de um espetáculo circense.

"Depois que voltou ao zôo, em setembro de 2002, sua dependência da nicotina se tornou maior, e ele passou a fumar vinte cigarros ao dia, quando antes não chegava a dez", explicou um de seus tratadores. As preocupações com a saúde de Xiku se intensificaram depois que seu hábito de fumar se tornou mais constante, e por isso os funcionários do zôo começaram a controlar seu consumo de tabaco.

No entanto, fazer o chimpanzé deixar de fumar não era fácil, já que, segundo seus tratadores, Xiku ficava muito nervoso quando queria fumar e não podia, balançando portas e janelas para chamar a atenção. Além disso, os visitantes do zoológico não ajudavam muito, ao agradar o chimpanzé oferecendo cigarros a ele.

Os tratadores encontraram uma solução para o vício de Xiku na cerveja e nos cachimbos de girassol, além de proibir os visitantes de oferecer cigarro a ele. Agora, o chimpanzé superou o vício e a dependência do tabaco diminuiu consideravelmente, já que fuma só quatro cigarros ao dia. "Confiamos em que, com nossa ajuda, o chimpanzé deixará de fumar totalmente", ressaltou um tratador de Xiku. Em outubro, uma chimpanzé de 27 anos, chamada Ai Ai, conseguiu se livrar do tabaco, após 16 anos de dependência, graças ao apoio do pessoal do zoológico de Xian (centro), onde vivia.

Ambiente estimula mulheres a começar a fumar
Fonte: Estadão
Data: 23/06/06

Já os fatores genéticos tornam difícil abandonar o vício

WASHINGTON - Estudos realizados com gêmeos idênticos já mostraram que fatores ambientais, como pressão social, e genéticos, estão envolvidos no hábito de fumar. Uma nova pesquisa envolvendo gêmeos, realizada pela Universidade do Sul da Califórnia (USC) traz uma melhor compreensão da interação desses fatores. Os pesquisadores descobriram que as mulheres têm uma probabilidade maior que os homens de começar a fumar por causa de fatores ambientais; no caso dos homens, a genética parece ser o fator principal.

A despeito disso, o estudo, publicado na mais recente edição do periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention, não encontrou diferença entre os sexos nos fatores que determinam se a pessoa continuará a fumar: essa condição parece fortemente influenciada pela genética em todos os casos. A pesquisa procurou determinar os fatores que levam gêmeos a começar a fumar e a seguir fumando.

No que diz respeito ao início do hábito, "os fatores genéticos foram mais fortes nos homens; no entanto, entre homens que se comunicavam uns com os outros ao menos uma vez por semana, o efeito foi reduzido. Isso pode indicar que fatores ambientais podem interferir" mesmo no caso masculino, disse Ann Hamilton, principal autora do estudo. No caso de pessoas que já fumam, no entanto, não foram encontradas diferenças que pudessem ser atribuídas aos sexos ou ao nível de comunicação entre indivíduos. "Para quem já fuma, parece haver uma resistência a parar que tem um componente genético", diz Hamilton. O estudo sugere, segundo a autora, que a sociedade pode ser muito mais eficiente na tentativa de convencer as pessoas a não fumar do que em ajudá-la a parar.



Ministro alemão anuncia proibição da propaganda de tabaco
Fonte: DW - WORLD
Data: 14/06/06

A Alemanha pretende proibir a propaganda de cigarro na mídia. Diante de uma provável derrota na disputa sobre a diretriz de propaganda de tabaco da União Européia, o ministro da Agricultura e Consumo, Horst Seehofer, anunciou que pretende adaptar sem demora a legislação do país à determinação européia. Anúncios de cigarro e outros produtos tabagistas serão proibidos em jornais, revistas, internet e rádio, bem como em eventos esportivos televisionados.

Na terça-feira (13/06), Philippe Leger, advogado-geral da UE, aconselhou à Corte de Justiça Européia rejeitar o recurso alemão contra a diretriz de propaganda de tabaco. Caso a Justiça acate este parecer, a Alemanha e outros países membros da comunidade seriam obrigados a proibir os reclames de cigarro.

Fumar antes da concepção causa leucemia em crianças
Fonte: Tecno Cientista
Data: 14/06/06

Boa Saúde - O tabagismo já foi relacionado com a leucemia de tipo mielóide nos adultos. Porém, a associação entre o tabagismo dos pais e o surgimento de leucemia na infância ainda permanecia obscura. Em estudo publicado na última edição da revista American Journal of Epidemiology, pesquisadores da Universidade da Califórnia e de outras instituições analisaram a associação entre o tabagismo dos pais e leucemia em crianças foi avaliada.
A análise incluiu 327 crianças com leucemia aguda de diversos tipos, e 416 crianças controle, pareadas por idade, sexo, raça e etnia hispânica. O fumo dos pais antes da concepção esteve significativamente associado com um risco aumentado de leucemia mielóide aguda. Segundo os investigadores, os resultados sugerem fortemente que a exposição dos pais ao tabagismo antes da concepção, ou em combinação com tabagismo passivo após o nascimento possa ser um importante fator de risco para leucemia.


CRÉDITOS
BOLETIM ELETRÔNICO - ALIANÇA POR UM MUNDO SEM TABACO

Publicação eletrônica semanal do Instituto Nacional de Câncer.

Este Boletim contém notas sobre notícias e artigos publicados na imprensa brasileira sobre controle do tabagismo. As opiniões aqui contidas não representam o posicionamento do Instituto Nacional de Câncer sobre esses temas.

Produção: Divisão de Controle do Tabagismo e Outros Fatores de Risco/ Coordenação de Prevenção e Vigilância /
Instituto Nacional de Câncer

Equipe do Boletim POR UM MUNDO SEM TABACO:
Coordenadora Editorial: Cristina Perez
Assistente Editorial: Felipe Mendes
Conselho Editorial: Tânia Cavalcante, Cristiane Vianna, Marcus Valério, Felipe Mendes e Érica Cavalcanti.
Colaboraram com esse número: Sabrina Presman e Felipe Mendes.

Comentários:

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada