Pesquisa personalizada

OUÇA TEMAS DA BÍBLIA AGORA:

REALIZE UMA CAPACITAÇÃO, PALESTRA OU OFICINA SOBRE INDISCIPLINA, BULLYING E ATO INFRACIONAL:

Pesquisa personalizada

19 junho 2006

RELATÓRIO: EEB PROF. RUDOLFO MEYER

E.E.B. PROF. RUDOLFO MEYER

COORDENADORA DO PROGRAMA:
NIRMA ELIAS MACHADO


RELATÓRIO NEPRE

TEMA: Valores da Família


No dia 05 de abril de 2006, nos reunimos com os seguintes membros do NEPRE: Sra Ilse Swiert, Sra Marilene C Souza, Sra Marli R Koerber, Sra Laura Schroeder, Sr Hugues B. Torres, Sra Marialba P. Raposo, Sra Nirma E. Machado (coordenadora do projeto nesta unidade escolar).
Ao início do encontro, a Sra. Nirma acolhe os presentes com uma breve apresentação do programa NEP (Núcleo de Educação e Prevenção), comentando sobre os diversos campos em que a prevenção deve ser bem dirigida; na ética, moral, sociedade; provando que o trabalho deve ser focado nas famílias, adolescentes da escola, comunidade, cidade e assim por diante.
Continua o encontro compartilhando uma mensagem, escrita por volta de 1996, verídica, que reforça a preocupação e a importância que devemos prestar ao ato do diálogo em nossas famílias.
O Sr. Hugues, diretor da escola, reforça o assunto lembrando que é através dos pequenos atos que iniciamos um bom trabalho de prevenção, de incentivo as nossas crianças e adolescentes. Durante o ano o projeto será bastante divulgado, principalmente levantando questões referente drogas, responsabilidade.
Em seguida, o Sr. Alex, professor desta unidade escolar, inicia explanação sobre o tema: Relação Pais e Filhos.
Em primeiro momento faz os participantes refletirem sobre a existência da casa não material e sim espiritual. Enfatiza a necessidade da oração e do diálogo em família e questiona como está a questão atenção em nossas casas.
Continuando, apresenta as três principais funções do televisor:
1 – Informar – atentar para informações distorcidas
2 - Divertir – cuidar com a distorção dos valores morais.
3 – Educar – zelar para que a ação não seja contrária.
O palestrante além de apresentar as funções desse veículo de comunicação, faz menção à postura atenta que devemos manter para que o mesmo seja utilizado sem oferecer prejuízos à formação que pretendemos aos nossos jovens.
Foi abordado, também, a questão do valor aos bens materiais e espirituais, a importância das boas lembranças familiares, dos momentos de interação em nossas casas. Explica que somos criaturas com falhas humanas mas, que temos que entender que Deus é nosso criador e que devemos amor a Ele.
Após explanação do sr. Alex, a palavra volta a sra. Nirma que comenta a importância do assunto até então discutido, buscando esclarecer nossos papéis como pais-educadores, que nossos jovens se espelham na nossa conduta diária. Reforça, também, as instituições família, casamento... fazendo-nos refletir sobre nosso papel na co-criação da humanidade. Questiona o quanto estamos atentos as atitudes dos nossos filhos, percebendo-os em casa e em outros ambientes, colaborando para seu desenvolvimento, participando da vida escolar, colaborando com os professores.
Sr. Hugues toma a palavra e completa o debate mencionando a necessidade de uma família estruturada, preparada para os acontecimentos do dia-a-dia. Dá seu testemunho como professor, diretor e pai e comenta sobre o neoliberalismo e mundo globalizado que influencia muito os valores que tentamos preservar em nossas famílias.
Foi abordado, também, o tema separação. Comentamos mais uma vez a importância do diálogo com o fim de firmar segurança aos filhos, mostrar equilíbrio e acima de tudo esclarecer em todos os sentidos. As crianças não têm maturidade para essas definições e precisam ser orientadas com firmeza, clareza e amor, independente da situação.
Devemos orientar nossos jovens para a busca do estudo, para o aproveitamento correto do tempo e oportunidades recebidas. Sabemos que nossos jovens almejam status, colocação na sociedade e é aí que devemos atuar. Nossa responsabilidade é mostrar que nada se conquista sem luta, trabalho, estudo, amor. Nada é fácil e o que é fácil tende a não ser tão bom. As opções são muitas e tentadoras e cabe a nós, aprendermos como mostrar e auxiliar nossos jovens a distinguirem as situações e saber aproveitá-las devidamente.
Após conversa, as senhoras Marli e Laura foram convidadas a encerrar o encontro, deixando palavras de incentivo e motivação aos ali presentes, para continuarem participando do projeto, fazendo com que percebêssemos a importância do projeto e a forma fácil que pretende-se trabalhá-lo.
Enfim, prevenir é o melhor remédio em qualquer situação e não será diferente em relação a educação dos nossos jovens. É iniciando trabalhos como esse que garantiremos o desenvolvimento de uma sociedade sadia, amorosa, justa e valorosa.


E.E.B. PROF. RUDOLFO MEYER

COORDENADORA DO PROGRAMA: NIRMA ELIAS MACHADO


RELATÓRIO NEPRE
TEMA: ALCOOLISMO

No dia 22/06/06 às 16:00 horas recebemos em nossa Unidade Escolar o Dr. Carlos Eliel Torres, médico (clinica geral), Professor de Anatomia, que apresentou palestra pelo Programa Prosa Unimed, com o tema Alcoolismo.
A sala de som e imagem estava repleta de alunos da 7ª e 8ª séries, além de professores e representantes da comunidade.
O palestrante iniciou com a pergunta: O alcoolismo é uma doença ou um vício? E continuou falando que é a porta de entrada para todos os perigos e outros vícios.
O alcoolismo é uma doença que afeta o indivíduo física e socialmente, abrangendo também a família, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Atinge a dez por cento da população adulta. Corrói o fígado e o cérebro, além de provocar lesões nos nervos; irritabilidade e tremores nas mãos.
As fases do alcoolismo são: euforia, excitação, confusão, estupor , terminando em coma alcoólico. No trabalho provoca baixa produtividade, atrasos, acidentes de trabalho, brigas, ciúmes, etc.
Por causa de sua dedicação e experiência (6 anos em prontos-socorro de praias e 12 anos em pronto socorro em Joinville), o Dr.Carlos alertou os estudantes sobre o perigo da bebida, principalmente na sua fase inicial.
Falou ainda que o alcoolismo é tratável, sendo cada pessoa diferente; por isso é necessário um reconhecimento individual. Podemos ajudar um alcoolista encarando-o com sinceridade e respeito; falando-lhe a verdade quando não estiver embriagado e encaminhando-o para um tratamento médico.
A seguir foram realizadas algumas perguntas sobre o tema.
A palestra foi encerrada após agradecimentos prestados pela equipe do NEPRE.


Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada